Vices possuem sólida formação acadêmica. Saiba quem são

210920102540.jpg
Alexandre Periotto, Marynilda Cavenaghi e Marcelo Dácia, candidados a vice-prefeito na chapa de Especiato, Luis e Ailton

O jornal A Tribuna solicitou aos partidos um breve currículo de seus candidatos a vice-prefeito e publica, nesta edição, o material por ordem alfabética para garantir a isenção.  

O candidato a vice pelo PT, é o empresário Alexandre Periotto, nascido em São José do Rio Preto, em 4 de abril de 1976. Segundo o partido, ele reside em Jales desde criança. Tem 44 anos, é casado e pai de 2 filhas. Formado em Administração de Empresas pela Unijales e pós-graduado em Gestão Pública pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). É proprietário da empresa Gestore Consultoria, de Jales, onde presta serviços de consultoria, projetos e capacitação de pessoal junto a diversas prefeituras e ao Estado.

O candidato a vice-prefeito pelo PV é o advogado Marcelo Fernando Dácia. Tem 37 anos e nasceu em São José do Rio Preto, mas, segundo o partido, mora em Jales desde os 2 anos de idade.   

É filho de Edson Dacia (funcionário do Banco Itaú já falecido em acidente automobilístico) e da advogada e presidente do partido, Sara Castardo Dácia. É casado com Adriana Dácia e pai de dois filhos. 

Marcelo é pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal; em Direito Público; Direito Tributário e Direito Empresarial.

A única mulher a concorrer nas eleições majoritárias em Jales, a professora aposentada Marynilda Cavenaghi Nacca, candidata a vice pelo PP (coligação Jales Igual Para Todos) foi professora da rede municipal por 32 anos e da rede estadual por 27 anos. Também deu aulas na FAI Jales. É pós-graduada em Gestão Pública, Pedagogia e Didática do Ensino.

Filha de José Carlos Cavenaghi, vereador por 20 anos em Jales, e, Nirda Baffi, vereadora por um mandato. É casada com o também funcionário público aposentado, Sérgio Nacca, mãe de dois filhos e avó de um netinho.  

A própria Marynilda tem consolidada atuação política. Foi conselheira do Instituto de Previdência dos servidores Municipais e presidente do Diretório Municipal do MDB. Em 2002 se candidatou a vereadora e alcançou 829 votos, mas não foi eleita porque a coligação não obteve os votos necessários, apesar de ter superado vários candidatos que foram eleitos. 

 

Deixe um comentário