Saiba quanto os candidatos a prefeito informaram de patrimônio ao TSE

191020151311.jpg
Patrimônio de Luís Henrique é o maior entre os candidatos a prefeito de Jales. Ailton Santana não declarou possuir bens

Apesar de apresentar como comerciário (empresário do ramo de comércio), o candidato a prefeito pelo PV (Partido Verde), Ailton Santana, não apresentou à Justiça Eleitoral qualquer bem em seu nome. Nem um veículo ou imóvel próprio. A declaração de bens e a apresentação dos documentos de propriedade respectivos é uma das exigências para o registro de candidatura. 

O candidato a vice do mesmo partido, o advogado Marcelo Dácia, declarou possuir R$ 34.390,28, sendo R$ 30.390,28 em moeda corrente e R$ 4 mil em forma de 80% das cotas do escritório Castardo e Dácia Sociedade de Advogados. Nem um dos dois disputou eleições anteriormente, portanto não há como comparar a evolução patrimonial.

O servidor público estadual (diretor de escola) Luis Especiato (PT) declarou possuir R$ 219.633,31 em bens. A grande maioria em dinheiro ou em aplicações financeiras. 

A exceção fica por conta de uma casa na Avenida da Integração, 2027, avaliada pelo candidato em R$ 28 mil; um terreno localizado na Rua Carlos Chiaparini, residencial Dr. Euphly Jalles, que segundo o candidato vale R$ 17.100,00; e um Toyota Corolla 2014 avaliado em R$ 56.346,00.

O montante é aproximadamente 138% maior que o declarado na última eleição que ele concorreu. Em 2012, o petista declarou possuir R$ 92.150,52. Naquela ocasião, Especiato não possuía casa, mas apenas um automóvel Polo sedan 2008 avaliado em R$ 52.535,28 e aplicações financeiras.

Seu vice, Alexandre Periotto, também do PT, declarou ter R$ 78.000,00 em bens, sendo um GM Vectra 2009 e participação societária numa empresa de treinamento e serviços. Alexandre nunca concorreu a cargo eletivo e não há como conferir a sua evolução patrimonial. 

O candidato com maior patrimônio declarado é Luís Henrique Moreira (PSDB), que informou possuir R$ 1.509.076,75 em bens. Entre eles dois carros, uma casa (R$ 302.026,28), um terreno na Rua Antônio Teixeira Duarte (R$ 94.606,51) e um apartamento em São Paulo (R$ 115.438,40), além R$ 93.700,00 da empresa LH Borr - Comércio de Borrachas e Artefatos; R$ 187.500,00 referentes a 50% do capital social da empresa Rossafa Moreira Imóveis e Participações Ltda e aplicações financeiras. 

Apesar de ter o maior patrimônio, a evolução de Luís Henrique em relação à eleição anterior, em 2018, pode ser considerada modesta. Naquela ocasião, o candidato a deputado estadual declarou possuir R$ 1.433.028,00 em bens.  Diferença de R$ 76 mil.

Entretanto, é importante ressaltar que não se pode fazer um comparativo proporcional entre a evolução patrimonial dos candidatos, mas apenas entre os seus próprios bens. O período analisado para o candidato do PT (oito anos) é diferente do de referência do PSDB (dois anos). Além disso, o candidato do PV não concorreu anteriormente e não apresentou declaração de bens atuais.    

A sua candidata a vice, a professora aposentada, Marynilda Cavenaghi (PP), informou possuir R$ 54.662,19 em bens, sendo um Hyunday/Creta 2018/2019 avaliado em R$ 54.662,19 e 1/4 de um terreno no Córrego dos Coqueiros.

A professora aposentada pelo município e pelo estado concorreu ao cargo de vereadora nas eleições de 2012, mas na ocasião ainda estava na ativa. Desde então, o seu patrimônio diminuiu significativamente. Ela declarou naquele pleito possuir R$ 355 mil em bens, entre eles um Fiesta avaliado em R$ 35 mil, um rancho sem endereço informado avaliado em R$ 120 mil e um casa, também sem endereço informado, avaliada em R$ 200 mil.

 

Deixe um comentário