Rumo confirma a construção de dois viadutos e melhorias no pátio da empresa

010620103905.jpg
.

A Rumo S.A., subsidiária da Cosan, assinou na quarta-feira, 27 de maio na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) em Brasília, o termo aditivo de concessão que dá o direito de prorrogar o prazo de vigência do seu contrato por mais trinta anos, após quatro anos de negociações. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas e o diretor-geral em exercício da ANTT, Marcelo Vinaud, assinaram a renovação antecipada do contrato de concessão.


Com isso, a Rumo confirmou a construção de dois viadutos sobre a linha férrea no perímetro urbano de Jales, que vai resolver problemas de trânsito na cidade. A data do início das obras no entanto, não foram informadas pela empresa.


Um fator determinante para a inclusão de Jales nos planos de investimentos da Rumo  foi o discurso do prefeito Flávio Prandi Franco, o Flá, em setembro do ano passado, no painel técnico realizado pelo TCU, em Brasília, para debater sobre a renovação antecipada do contrato de concessão com a empresa. O encontro aconteceu no Auditório Ministro Pereira Lira. Flá, que também é presidente da AMA (Associação dos Municípios da Araraquarense), representou os 645 municípios do Estado de São Paulo.


Fizeram parte do painel o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o ministro do TCU, Augusto Nardes, o secretário de Fiscalização de Infraestrutura Portuária e Ferroviária (SeinfraPortoFerrovia), Jairo Cordeiro, o presidente do TCU, José Mucio Monteiro, o diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Davi Barreto, o diretor de regulatório da Rumo, Guilherme Penin, o procurador do MTCU, Júlio Marcelo de Oliveira, o subprocurador-geral do Ministério Público Federal, Luiz Augusto Santos Lima, o presidente da Associação dos Usuários do Transporte de Carga (ANUT), Luís Henrique Baldez e José Manoel Gonçalvez, da ONG FerroFrente.
Em março deste ano, um grupo formado pelo gerente-executivo da Rumo, Emanoel Tavares Costa Junior, pelo coordenador Marcelo Rodrigues, o relações governamentais Norte, Bruno Rabello Madalena, e o  relações institucionais e governamentais Rodrigo Verardino de Stéfani visitou o trecho que liga a Rua Minas Gerais, no Jardim Paulista à Avenida Rosa Garcia Ceciliano, no prolongamento com a Rua Goiás, no Jardim São Gabriel, ponto que deve receber o primeiro viaduto, e trecho da Avenida Jânio Quadros, próximo ao Comboio, que deverá receber o segundo viaduto.


“Depois de prontos, os viadutos, que terão obras complementares, vão aliviar a vida dos que usam a passagem de nível da Rua Maranhão e que muitas vezes precisam aguardar a passagem de trens, alguns com mais de 100 vagões e daqueles que poderão atravessar do prolongamento da Rua Dois, próximo ao Comboio, para o Jardim Aclimação. Há décadas estas obras são aguardadas e clamadas pela população jalesense”, lembrou o prefeito Flá.


Flá ressaltou a importância dos investimentos da Malha Paulista. “A malha paulista é a principal via para o escoamento da produção agrícola do país. E se ela passa aqui na nossa cidade, tenho certeza que vamos transformar Jales em um importante pólo de desenvolvimento do nosso estado e do Brasil. A infraestrutura é uma carência muito grande em Jales, e temos trabalhado para suprir essa necessidade. Nossa cidade terá mais oportunidade de desenvolvimento. O investimento previsto pela empresa ampliará a capacidade de transporte de cargas na ferrovia, de 35 milhões para 75 milhões de toneladas, e em melhorias das áreas urbanas afetadas pelo empreendimento. Além disso, teremos investimentos em tecnologias, principalmente no pátio da Rumo em Jales que será ampliado e receberá muitas melhorias; e a soluções dos conflitos urbanos como descarrilamentos, acidentes, mortes, fatalidades, que aconteceram ao longo desses anos e que está, até hoje, impactando a vida das pessoas de forma muito séria e muito grave. Quantas mortes podem ser evitadas? Quantas vidas podem ser salvas? Quantos acidentes podem ter impacto menor na vida de tantas pessoas? Quanto mais de riqueza podemos gerar em nosso Estado? Estou muito feliz por essa conquista que entra para a história do município”, ressaltou Flá.


Prorrogação da concessão
O contrato da Rumo venceria em 2028 e recebeu uma renovação por mais 30 anos, informou o Ministério da Infraestrutura. A Rumo, subsidiária da Cosan, informou que o novo valor da outorga da concessão será de aproximadamente R$ 2,9 bilhões. Esse montante será pago em parcelas trimestrais ao longo da vigência contratual prevista até 2058, e os investimentos estão estimados em R$ 6,1 bilhões neste mesmo período.


A Malha Paulista compreende um trecho com 1.989 quilômetros no Estado de São Paulo que vai da divisa com o Mato Grosso do Sul até o Porto de Santos.


Os investimentos que a Rumo terá que fazer nos primeiros cinco anos na ferrovia deverão ser aplicados em obras, trilhos, vagões e locomotivas.


“Cumpre esclarecer que o Tribunal de Contas da União analisou detalhadamente os termos do aditivo e autorizou a sua celebração”, destaca  a empresa

Deixe um comentário