Requerimento sobre Centro de Zoonoses gera discussão na base do prefeito

150620102658.jpg
Ao tentar defender quem não precisava de defesa, o vereador Kazuto levou um pito dos colegas


Um requerimento do vereador Henrique Viotto, o Macetão, sobre as condições de castração no Centro de Zoonoses colocou em confronto alguns vereadores da base aliada do prefeito Flá. Enquanto Deley Vieira e Tiago Abra apoiavam o requerimento e criticavam as condições do centro, Fábio Kazuto Matsumura resolveu citar os servidores que estão lotados no órgão, como se tivessem sido acusados de alguma coisa. Só que até aquele momento nenhum dos colegas havia falado sobre a atuação dos trabalhadores. Apenas tinham criticado as condições do órgão.  


O autor do pedido de informações criticou a demora na compra de medicamentos para o centro. Ele lembrou que a Câmara tinha aprovado a renovação do contrato com a clínica particular que faz as castrações e ressaltou que enquanto a Prefeitura paga pelo serviço particular, o Centro de Zoonoses está inoperante.  


“A clinica faz um trabalho de excelência, mas estamos falando do Centro de Zoonoses. A situação é penosa. É triste. Desde setembro fizeram uma licitação de medicamentos para passar o ano inteiro e estamos em junho e no dia que eu fui lá não tinha nada”, disse Macetão. 


Em sua fala, Macetão defendeu o veterinário lotado no órgão. “Quero parabenizar a equipe, principalmente o veterinário. Ele tem dedicação e respeito à coisa pública. E nós não podemos deixar ele perder. O rapaz é novo, tem vontade de trabalhar, mas sem material e sem respeito do poder público, acaba desanimando”.  


Tiago Abra, mais novo apoiador da administração, lembrou que na sessão anterior os vereadores haviam aprovado um projeto de remanejamento de R$ 78 mil para manutenção preventivas das UBS e castração animal. “Eu estou preparando um requerimento para saber como vai ser usado esse dinheiro. O que vai ser comprado, quanto animais vão ser atendidos etc. Parabéns pelo requerimento”.    


“Eu estive no Centro de Zoonoses há uns 15 dias e também me assustei. Fui informado que os medicamentos tinham acabado. Saí dali e fui direto na Secretaria de Saúde falar com a secretária Maria Aparecida. Ela disse que o processo licitatório atrasou, mas que está fazendo castração em clínica particular fora do Centro. Tem que ter pressa, tem que cuidar. Chegar no Centro de Zoonoses e não ter nada...no dia 20 eu vou voltar lá e se não estiver resolvido eu vou na imprensa denunciar”, ameaçou Deley, líder da bancada de apoio ao prefeito.


“A população mais carente, que não tem condições de pagar um veterinário vem procurar a gente. Precisamos pegar no pé dessa secretaria. Tá sempre acontecendo isso aí. Não tem desculpa. É Saúde! Toda vez arruma desculpa? Não tem base isso daí. Não tem condições. Precisa verificar isso todos os dias”, afirmou o presidente Nivaldo Batista, o Tiquinho.


Depois disso, surpreendendo a todos, Cazuto rebateu os colegas e citou nominalmente cada um dos funcionários do Centro. “Infelizmente muitas coisas que foram ditas aqui são resultado da falta de informação. Quero parabenizar o doutor Carlos Eduardo, médico veterinário, o Heytor, a Ana Paula Tressi, o Tássio, o Luiz, o Dito e o Geraldo, todos que fazem parte do Centro de Zoonoses pelo brilhante trabalho que realizam ali. A equipe de zoonoses faz 80 castrações por mês, sendo 40 particular e 40 alí. Isso está sendo feito desde fevereiro e não de setembro, com foi dito. Às vezes num departamento, as pessoas cumprem várias funções então a gente não pode crucificar as pessoas só porque faltou medicamento”.


A defesa de quem não precisava ser defendido irritou os colegas. Deley Vieira pediu um espaço à parte e questionou Kazuto. “Quer dizer então que somo mentirosos? Eu estive lá e presenciei que faz dias que não tem medicamento. O veterinário disse que está tirando do bolso dele pra comprar medicamentos. A Maria Aparecida falhou e eu não passo a mão na cabeça de quem falha”. 


Tiquinho também engrossou a bronca. “Kazutinho, eu tenho uma admiração grande por você, mas o que está errado, no caso da secretária, tem que cobrar dela. O que está errado nós temos que cobrar aqui. Nós estamos cobrando a secretária de Saúde que está lá pra isso”.  


Irritado, Bismark Kuwakino chegou a levantar a voz para criticar o colega. “Kazuto, em nenhum momento, essa casa citou algum nome duvidando do trabalho das pessoas que você acabou de citar aqui e agora. Ninguém colocou o nome de ninguém. Ponha isso na cabeça: Nenhum nome foi citado. Isso dá a entender que essa casa está duvidando da capacidade daqueles servidores que estão lá quando você citou o nome deles. A situação que foi colocada é que, pela falta de medicamentos, o serviço não está sendo feito. É isso! Não adianta você colocar nós contra o Executivo”, disse.  


QUESTIONAMENTOS
O requerimento 60/2020 foi aprovado por unanimidade e pergunta ao prefeito Flávio Prandi Franco, entre outras coisas, se o município tem fornecido material para atividades no Centro de Zoonoses, se atualmente o Centro vem realizando castração gratuita para a população carente e qual o método usado; Se Centro vem realizando a eutanásia; qual a capacidade mensal de castração de animais e quais critérios usado para que um animal seja atendido no Centro. 

Deixe um comentário