Projeto especial de A Tribuna publica ideias e propostas de candidatos

280920150720.jpg
Candidatos a prefeito de Jales na sede do jornal A Tribuna, ao receberem as regras do projeto “Jales em Debate”

LA partir desta edição, o jornal A Tribuna vai publicar textos com ideias e propostas dos três candidatos a prefeito de Jales. Serão sete artigos publicados semanalmente até o dia 8 de novembro, fim de semana anterior ao pleito. O projeto “Jales em Debate” é uma iniciativa do jornal A Tribuna e foi elaborado com a intenção de facilitar ao eleitor o acesso aos ideais e propostas de quem pretende administrar o município e auxiliá-lo a escolher. O projeto tem sido publicado em todas as eleições municipais, com exceção do pleito de 2016, quando houve apenas uma candidatura.  


As regras foram apresentadas aos três candidatos, Ailton Santana (PV), Luis Especiato (PT) e Luis Henrique (PSDB) na manhã da última quarta-feira, 23 de setembro, na sede do jornal A Tribuna. 
Os textos devem ser formatados em Word, na fonte “Times New Roman” com títulos de uma linha de 35 toques, corpo 30. O texto deve ter o máximo de 32 linhas de 90 toques com corpo 12.


“Participaram todos os candidatos nessa reunião, e a confirmação de suas participações no projeto. Isto é bom para a democracia e reforça o compromisso dos candidatos com o eleitorado. Estamos abrindo nossas portas para que cada um deles mostre um projeto administrativo para Jales. Essa é a nossa intenção”, diz Franley Garcia Machado, editor chefe do jornal A Tribuna, reafirmando o compromisso de manter os princípios da isonomia, imparcialidade e democracia.


Os textos deverão ter o mesmo tamanho e serem entregues no mesmo prazo (até as 18 horas da quinta-feira anterior à publicação). A disposição dos textos na página foi definida por sorteio, garantindo visibilidade igual para todos. Assim, nesta primeira edição, o candidato do PV terá o texto publicado no topo da página, seguido logo abaixo pelo candidato do PSDB e por último o do PT. A ordem se altera todos os finais de semana.


As áreas da administração pública que servirão de tema para os artigos foram definidas pelo Conselho Editorial do jornal A Tribuna, observando as determinações legais. 


Abrindo a série neste domingo, 27 de setembro, o tema “Por que sou candidato?”. No Dia 4 de outubro, o tema será “Saúde”. Em 11 de outubro, “Moradia, Emprego e Renda”. Dia 18 de outubro, “Obras e Urbanismo”. Dia 25 de outubro, “Educação”. Dia 1º de novembro, “Do que Jales Precisa” e, para finalizar, dia 8 de novembro, o tema será “Livre”, ou seja, o candidato terá a oportunidade de falar sobre o que desejar. 


CACHIMBO DA PAZ
Todos os candidatos parabenizaram a iniciativa do jornal e ressaltaram o respeito mútuo, prometendo realizar uma campanha propositiva, sem ataques e com o debate de idéias com ética e propondo soluções. 


Luís Henrique foi o primeiro a falar. Ele lembrou que esta é uma eleição atípica que acontece no meio de uma pandemia grave e que, portanto, os meios de divulgação de ideias estão ainda mais restritos. “Esta é uma oportunidade a mais de mostrarmos as propostas. Quero aproveitar e desejar boa sorte a todos e que façamos uma campanha limpa e de propostas, porque todos querem uma única coisa: construir uma cidade melhor para nós e nossos filhos.


Especiato também parabenizou o jornal e ressalvou que, apesar de ter disputado várias eleições para diversos cargos, sempre teve uma boa relação com todo mundo. “A política nunca me trouxe inimizades. Tive adversários, mas nunca inimigos. A deslealdade é ruim. A gente não quer ser vítima de deslealdade nem fazer com os outros. Fazer política é difícil e as pessoas não estão compreendendo o papel da política, então a gente tem que fazer as pessoas mudarem essa mentalidade”. 


Ailton também agradeceu a oportunidade, contou um pouco da sua trajetória e endossou a intenção de fazer o melhor para a cidade. “Eu fiquei muito satisfeito com o convite e a partir de agora as pessoas poderão conhecer o Ailton, pessoa que veio para Jales com seis para sete anos e que fundou o Partido Verde na cidade em 2006. Venho acompanhando a política faz muito tempo e agora resolvi ser candidato. Essa é uma excelente oportunidade de mostrar que a população que ela manda”.

 

Ailton

Por que sou candidato?
Sou Ailton de Souza Santana, tenho 44 anos, moro na cidade de Jales há mais de 40 anos e resido no bairro da Vila União desde a minha chegada. Sou casado há 25 anos com Rosangela Fazolo e temos três filhos. 


Meus pais são produtores rurais no ramo de hortaliças e feirantes assíduos desta cidade. Formei-me bacharel em Ciências Contábeis, com Especialização em Gestão Empresarial e Consultoria e Acessoria pelo Centro Universitário de Jales.


Entre várias atividades profissionais posso relatar que fui feirante e já trabalhei em algumas empresas locais, além disso, fui coordenador e professor do Centro Paula Souza e, atualmente, atuo como microempreendedor no ramo de transporte.


Em 2006, filiei-me no Partido Verde onde estou até a presente data, fui presidente do partido e coordenador regional do mesmo partido. Desde então, venho acompanhando a política local e percebendo as necessidades da minha família e da população com os descasos dos nossos representantes públicos, os quais deixam o desenvolvimento da cidade em segundo plano.


Estou preparado para assumir a gestão municipal, para fazer uma prestação de serviço público de qualidade para a população nas áreas da saúde, educação, lazer e segurança pública, além de apoiar os nossos empreendedores, trazer novas empresas e gerar empregos.


Também temos como objetivo firmar parcerias para realizar capacitação e qualificação especializada, e com o apoio da população posso ser o prefeito de que os cidadãos de Jales precisam.


Acredito numa gestão mais próxima do cidadão, conhecendo seus anseios e necessidades para, com isso, serem desenvolvidos projetos amparados em leis para beneficiá-los, apresentando um serviço de qualidade e participativo, por isto preparei um projeto sucinto, mas com a vitória vamos recheá-los com opiniões públicas e tendo uma população participativa estaremos desenvolvendo uma gestão de muita transparência.


Como cristão, acredito que Deus tem um propósito para tudo nas nossas vidas, hoje estou preparado para assumir a gestão pública de Jales para benefício de toda população.


Quero ser prefeito para entregar às pessoas a cidade que é delas por direito. Jales não é dos partidos políticos e coronéis. Precisamos mudar e deixar de ser continuísmo. Diga não à velha política e ao retrocesso. Jales precisa renovar-se e mudar para valer. Precisa de gestão e de inovação. Precisa de gente de coragem e preparada para administrar a cidade. Coloco-me à disposição para ser e fazer a verdadeira mudança que Jales precisa e que a população deseja. 

 

Luis Henrique Moreira

Por amor e por acreditar

Eu me proponho a ser candidato de Jales por acreditar que a Política, é a melhor forma de mudar a realidade de um município e seu povo, e por acreditar que nós, moradores de Jales, nascidos ou não, amamos cada canto dessa cidade; um amor que se percebe no nosso dia-a-dia através das pessoas que se cumprimentam em cada esquina, um amor que senti desde o primeiro dia que aqui me estabeleci e só aumentou nesses últimos dez anos, um amor que se expressa na esperança dos que me contam sobre o que esperam para esse futuro próximo, é que me move e me coloca a disposição.


  O amor me move, mas sabemos que além de amar é preciso competência e conhecimento para administrar um município, e em razão da minha experiência política como vereador, assessor parlamentar e por ter ótimas relações com diversos deputados e senadores, somado à visão e experiência administrativa que eu adquiri como empresário, posso, sim, fazer da nossa esperança uma realidade.


Jales é uma cidade rica que gera recursos através da sua agricultura variada, seu comércio forte, importantes estabelecimentos de saúde, educação e supermercados, mas ainda precisam de maior visibilidade, de novas estruturas, novas condições e de apoio público para se renovarem e conquistar toda região. Somente com essas novas condições vamos crescer, gerar mais empregos e receitas para o município. 


Fiquei grato e muito feliz porque a Marynilda, se dispôs a ser minha vice, uma mulher forte, com experiência na administração, que conhece muito bem nossa cidade e traz a força da mulher para a nossa gestão.


Sou e sempre serei grato a Jales porque aqui encontrei oportunidades que transformaram a minha vida, as minhas conquistas se deram aqui. Jales é extremamente receptiva. Foi assim no passado, com a imigração japonesa, italiana, espanhola, portuguesa, entre outras e comigo não foi diferente. 
Dizem que o amor é uma promessa feita e uma promessa cumprida. Por amor a nossa cidade, por amor ao nosso povo, por amor aos meus colaboradores e por amor a minha família faço a minha promessa e se eleito for garanto que a promessa será cumprida.

 

Luís Especiato

Vamos ao debate!

Sou Luís Especiato, 55 anos, casado, pai de dois filhos. Nasci em Jales e fiz várias graduações em nossa cidade. Sempre fui professor e nos últimos anos sou diretor de escola pública.


Por ter uma carreira profissional estabilizada poderia fazer como a maioria: acomodar-me e cuidar de minha vida e família. Porém, aqueles que me conhecem sabem que esta opção não cabe em mim. Sempre fui uma pessoa que luta por aquilo que acredita. Ao longo de minha vida fui vereador em quatro oportunidades, justamente por acreditar que é possível fazer mais por nosso povo e nossa cidade. 


Nas movimentações preliminares ao lançamento das candidaturas foi possível perceber articulações que apontavam para, mais uma vez, haver candidatura única à prefeito. A experiência passada mostrou que isto não foi positivo. Diante disto, propus a minha candidatura, mesmo sabendo que enfrentaria uma disputa desigual. A meu favor tenho o conhecimento da vida pública, a experiência, a ousadia e uma grande vontade de trabalhar pelo bem da cidade e dos jalesenses.


Ter uma candidatura única à prefeito impediria, novamente, a discussão aprofunda dos problemas de Jales. Sabemos que uma nova dívida para o município foi gerada nos últimos anos, que deverá ser paga pelos próximos prefeitos. A falta do contraditório, de espaço para a exposição de ideias divergentes, gerou um ambiente de conforto político, prejudicando o debate e dificultando a participação popular nas decisões que impactaram a vida de todos nós.


A discussão dos projetos nos leva a soluções melhores, pois, ninguém é dono da verdade. Estamos com sérios problemas no atendimento à saúde que passa por um processo geral de sucateamento. Se não houver uma intervenção corajosa, em breve equipes de saúde serão reduzidas, prédios e equipamentos ficarão sem manutenção e a população sem atendimento. 


O desemprego é uma das maiores preocupações de nossas famílias. Se o futuro prefeito não atuar firmemente no apoio ao empreendedorismo e à agricultura, este problema se agravará. A educação municipal de Jales continua colhendo os frutos de uma política municipal implantada por nosso governo, sob a coordenação da profa. Élida Barison. Ainda mantém bons resultados em razão do grande esforço de seus profissionais. No entanto, ultimamente o setor apresenta certa fadiga, uma vez que nas creches e escolas está faltando material básico e manutenção dos prédios. Diretores e professores precisam fazer “caixinha” com os pais para fazer reformas emergenciais. Diante do quadro de agravamento da pobreza, as políticas de promoção social precisam ser efetivas e o apoio às entidades assistenciais não poderá faltar. 


Nosso Plano de Governo está registrado e os projetos postos. Vamos ao debate. Participe conosco! 

 

Deixe um comentário