Prefeitura vai gastar R$ 140 mil para cercar Centro Cultural

071220162346.jpg
A Prefeitura pretende gastar R$ 140 mil na instalação de gradis para cercar o Centro Cultural, que atualmente passa por reformas

Foi publicado na edição de segunda-feira, 30 de novembro, do Diário Oficial do Município, mais uma das dezenas de aberturas de Crédito Adicional Suplementar sobre o Orçamento Anual de 2020. A Lei nº. 5.075, de 30 de novembro de 2020 remaneja R$ 140 mil do Fundo Municipal do Trânsito (Obras e instalações) para a Secretaria de Obras, Serviços Públicos e Habitação para cercar o Centro Cultural Dr. Edílio Ridolfo. 

Não há maiores detalhes sobre o projeto, mas sabe-se que desde o começo do ano o Teatro Municipal foi interditado e está passando por uma reforma imposta pelo Ministério Público, que viu uma série de riscos aos freqüentadores. Entre eles a falta de saídas adequadas para a lotação do local. 

Segundo o secretário de Obras, Manoel Andreu de Aro, a colocação de gradis para cercar o Centro Cultural não deve ser feita mais neste mandato por falta de tempo para a realização da licitação obrigatória por lei.

O prédio não possui o chamado “Alvará do Corpo de Bombeiros” e isso também deve ser providenciado.

“São duas situações: a primeira é a colocação de carpetes e adequações exigidas pelo Corpo de Bombeiros. A outra é a colocação dos gradis. A primeira terá custo aproximado de R$ 75 mil e será incluída no contrato da reforma que já está sendo feita atualmente. A outra vai custar R$ 140 mil e vai precisar de uma nova licitação, por isso não deve ser feita este ano”.

Manoel explicou que nas próximas semanas serão abertas várias licitações para o combate à Covid-19 e isso deve ocupar toda a capacidade do Setor de Compras da Prefeitura. 

POSTOS DA SAÚDE

No dia seguinte, 1º de dezembro, o Diário Oficial trouxe a informação que a Comissão Permanente Julgadora de Licitações classificou em primeiro lugar a empresa Max Construções e Serviços em Edificações Ltda EPP no processo licitatório aberto para execução de alambrados de fechamento e calçadas, com aplicação de materiais, equipamentos e mão de obra, a serem realizados nos ESFs Luiz Ernesto Sandi Mori, Jardim Monterey, Rural Dr. José Cícero Fontes Xavier e Setuo Suetugo. 

A empresa é a mesma que realizou a reforma do banheiro do Comboio, do Terminal Rodoviário e da praça Dr. Euphly Jalles. Ela garantiu que pode fazer o serviço nos ESFs por R$ 73.042,43, enquanto a segunda colocada se propôs a fazer o mesmo serviço por R$ 82.497,48 e a terceira colocada, por R$ 88.393,17.

 

Deixe um comentário