Polícia Federal vai usar drones para coibir crimes eleitorais

021120110722.jpg
A equipe da PF de Jales já fez testes de pilotagem e captação de imagens com o equipamento que vai monitorar crimes eleitorais em Jales e na região

Monitoramento a distância através de drones será a mais nova arma da Polícia Federal de Jales na prevenção e repressão de crimes eleitorais. Em Jales a equipe técnica e operacional já está pronta para a utilização da nova ferramenta na área de circunscrição da PF na região. Exercícios e simulações de ações com os drones foram realizados nos últimos dias. Na manhã da última terça-feira, 27, o delegado Jackson Gonçalves apresentou o equipamento à imprensa. 
Segundo ele, crimes como boca de urna, compra de votos, transporte de eleitores e outras aglomerações suspeitas poderão ser monitorados pelo drone, que fará a orientação dos policiais em terra. Com capacidade para filmar e fotografar à longa distância, o drone poderá colher provas que auxiliarão nos possíveis inquéritos, inclusive à noite, já que tem câmara com infravermelho. 
O uso do equipamento vai levar em consideração as estratégias montadas pela corporação e os precedentes das cidades e locais mais problemáticos. O equipamento também será usado em investigações de crimes comuns, depois das eleições. 
O mesmo procedimento será usado no resto do país. A direção geral da PF informou que serão usados mais de 100 aeronaves remotas em municípios estratégicos em todo o Território Nacional.
“Elas irão sobrevoar as principais zonas eleitorais do país ajudando a fiscalizar e combater crimes. Tais equipamentos trazem tecnologia de ponta e são capazes de tornarem-se imperceptíveis ao voar em elevada altitude”. 
Os drones possuem câmeras capazes de realizar zoom suficiente para identificar suspeitos, placas de veículos, entregas de santinhos e situações de compra de votos, com imagens de alta nitidez. As imagens capturadas serão transmitidas a uma equipe da Polícia Federal que estará preparada para monitorar todas as eleições e adotar as medidas cabíveis diante de atividades suspeitas. Assim, diante de algum flagrante de crime eleitoral, policiais se deslocarão, imediatamente, para o local indicado para prender os suspeitos, que serão conduzidos para a delegacia, onde serão tomadas as providências pertinentes.
A ação vai ao encontro das orientações da Direção Geral da Polícia Federal, no sentido de utilizar novas tecnologias para prevenir e reprimir ações delituosas. O uso de drones possibilita, ainda, diminuir a presença física dos policiais e o contato social com envolvidos em situação criminosa, o que se torna extremamente relevante diante do cenário de medidas de distanciamento social para combater a epidemia do novo coronavírus.

Deixe um comentário