Polícia Ambiental autua jalesense em R$ 216,5 mil por maus tratos

140222152908.jpg
Sem comer há dias, o gado ficou desnutrido e alguns morreram por falta de alimentação

Um jalesense de 30 anos foi autuado por maus-tratos ao deixar 433 cabeças de gado sem comida e sem água, em uma fazenda de Alcinópolis (MS). Nove animais já estavam mortos por passar dias sem comer. Segundo informações, esta fazenda e o gado faz parte do Espólio de Francisco Simões de Melo, com acirrado litígio judicial correndo pela Egrégia 1ª Vara Cívil da Comarca de Jales.

De acordo com a Polícia Militar Ambiental (PMA) de Mato Grosso do Sul, os animais estavam presos em uma área com lama, sem acesso à ração ou ao mato. A pastagem estava degradada, e na maior parte do local havia apenas lama.

Segundo o tenente-coronel Ednilson Paulino Queiroz, assessor de imprensa da Polícia Militar Ambiental de Campo Grande-MS, todos os animais estavam extremamente debilitados, com partes ósseas expostas devido a desnutrição pela falta de alimentação e, alguns, até água, pois não havia caixas ou outras formas de disponibilizar água. Com isso, o gado bebia água de acúmulos em poças de lama provenientes da enxurrada durante as chuvas. Em cochos que haviam no local não foi encontrado nenhum tipo de alimento.

A Polícia Militar Ambiental manteve contato com a Agência Sanitária Animal e Vegetal (IAGRO) e os técnicos relataram que no ano de 2020, a mesma propriedade teve ocorrência relativa ao gado desnutrido. A equipe apreendeu o gado na ocasião e notificou o proprietário, que não estava no local, a remover o gado imediatamente para outra propriedade ou adquirir ração para os animais, sob pena de poder responder por crime de desobediência e ser autuado novamente. A IAGRO também foi contatada para as providências sanitárias.

O infrator foi autuado administrativamente e multado em R$ 216.500,00 por maus tratos aos animais. O autuado também responderá por crime ambiental de maus-tratos, com pena de três meses a um ano de detenção.

Esta é a terceira vez que o Espólio de Francisco Simões de Melo é multado por possíveis maus tratos a animais em virtude de abandono de gado sem pastagens, ou qualquer outro alimento. A primeira infração aconteceu em setembro de 2018, quando uma fazenda do Espólio foi multada em R$ 320.000,00, depois de várias denúncias de vizinhos relatarem à Polícia Ambiental, maus tratos a animais bovinos por absoluta falta de pastagem ou outro alimento. Na ocasião, nove carcaças de gado (mortes ocorridas por desnutrição) foram encontradas pela PMA. A fazenda em questão é a propriedade denominada Picanha, que fica localizada em Cassilândia-MS.

Deixe um comentário