PF e PM prendem infiltrado que ameaçava caminhoneiros em Jales

060618092530.jpg
Policiais Federais e Militares durante operação que prendeu homem infiltrado no movimento de paralização de caminhoneiros em Jales

 

A Polícia Federal, em conjunto com a Polícia Militar, prendeu na tarde de quarta-feira, 30, um homem que estava infiltrado no movimento de paralisação dos caminhoneiros em Jales. Aproximadamente 50 policiais, entre federais e militares participaram da operação. A prisão temporária foi decretada pela Justiça Estadual de Jales, com concordância do Ministério Público, após representação da Polícia Federal.

Desde o início das manifestações, federais e militares orientaram os caminhoneiros mobilizados para que não fosse realizado nenhum tipo de coação, ameaça ou constrangimento a motoristas que não queriam participar do movimento de paralisação. Ocorre que nos últimos dias, a PF recebeu várias denúncias de caminhoneiros que estavam sendo ameaçados por pessoas, estranhas à atividade de caminhoneiro, mas simpatizantes da causa, que estavam perseguindo e ameaçando aqueles que não paravam nos pontos de mobilização, inclusive com o uso de arma de fogo.

Após diligências veladas, com policiais federais disfarçados, a PF identificou um dos líderes que estava atuando nas ameaças aos caminhoneiros, juntamente com outros indivíduos, que não eram caminhoneiros, mas permaneciam nos acampamentos da mobilização em Jales.

E. F. M., 32 anos, morador de Jales, beneficiário de auxílio doença do INSS, com diversas passagens criminais, entre elas: porte ilegal de arma de fogo, tentativa de homicídio e contrabando e descaminho, estava coordenando estas atividades criminosas de coação em um dos pontos de mobilização em Jales. As investigações também indicaram que o preso e outros envolvidos estavam recebendo apoio financeiro de empresários da região. Esta informação, bem como a identificação de outros envolvidos será apurada pela PF no inquérito policial instaurado.

Em uma das caminhonetes de luxo de E.F.M. a polícia encontrou uma munição de arma de fogo não deflagrada. Também foi realizada uma busca e apreensão na residência do preso. Todos os documentos e aparelhos celulares apreendidos serão periciados com o objetivo de identificar outros envolvidos nas ações ocorridas na região de Jales durante a manifestação dos caminhoneiros. O benefício recebido do INSS pelo preso também será investigado, pois em tese ele está incapaz de trabalhar, mas as investigações demonstraram que ele possivelmente esteja em plena atividade física, gerando dúvidas quanto à legalidade no recebimento do benefício.

O preso foi ouvido pelo chefe da Delegacia de Polícia Federal em Jales e posteriormente foi conduzido à Cadeia Pública de Santa Fé do Sul, onde permanece à disposição da Justiça Estadual.

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados