Palestras no HCâncer alertam para câncer de cabeça e de pescoço

010817093446.jpg
A semana começou com palestras no Hospital de Câncer com profissionais especializados em câncer de cabeça e de pescoço

 

Em alusão a Campanha Internacional de Prevenção ao Câncer de Cabeça e de Pescoço, o Hospital de Câncer de Barretos em Jales, promoveu o Julho Verde. Entre as ações realizadas durante o mês, na última semana, diversas palestras marcaram o encerramento das atividades. A primeira aconteceu na segunda-feira, dia 24, no anfiteatro da instituição.

Entre os profissionais de saúde que participaram, estavam médicos, dentistas, fisioterapeutas, enfermeiros, fonoaudiólogos, educadores físicos e assistentes sociais, de Jales e de mais dez cidades da região.   

Paralelamente, aconteceu o “1º Encontro para Discussão sobre Câncer de Cabeça e Pescoço Com a Sociedade”, na quarta-feira, dia 26, no Anfiteatro da Associação Paulista de Medicina – APM, onde centenas de pessoas compareceram e prestigiaram.

As duas ações tiveram como palestrantes os cirurgiões em cabeça e pescoço, Sávio Costa de Paula e Filipe Minzon Rodrigues, a fonoaudióloga Tatiane C. S. Freitas e a cirurgiã dentista, Helen Ramon Esper de Carvalho.   

O cirurgião Filipe disse que a participação, tanto dos profissionais de saúde, como da sociedade em geral, é muito importante. “Os profissionais de saúde são as ‘pontas do iceberg’, pois quando o paciente chega ao posto de saúde, são essas pessoas que vão identificar os sintomas e encaminha-los, com mais precisão, para iniciar o tratamento no Hospital. Quanto mais precoce o diagnóstico, mais chances de cura tem esse paciente”, afirmou.

Para a enfermeira do departamento de educação continuada e presidente do Grupo de Trabalho Humanizado (GTH), Priscila Miranda, só foram possíveis essas ações graças aos parceiros que a instituição possui. “Quero agradecer imensamente a presidente da Associação Paulista de Medicina, Dra. Alice Mariani, que nos deu todo apoio, e a AVCC, que sempre nos ajuda em tudo que precisamos”, declarou.

Em entrevista, os dois médicos alertam para sintomas que caracterizam como alarmante para doença: rouquidão persistente, nódulos no pescoço, dificuldade para engolir, mudança na voz, manchas brancas na boca, aftas frequentes, lesões com sangramento na boca e dificuldade para cicatrização. O principal deles são as feridas na boca ou gengiva que perduram por mais de 3 semanas. A orientação é para que nesta situação, um médico seja consultado imediatamente.

É importante ressaltar que o consumo de tabaco e álcool aumentam as chances para o desenvolvimento desse tipo de tumor, e a associação dos dois hábitos multiplica as possibilidades do surgimento do câncer.

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados
Feliz Natal