Mulher de 59 anos é a segunda morte por Covid-19 em Jales

290620085733.jpg
A 4ª atualização do Plano São Paulo mantém Jales e região na fase laranja, sem abertura de salões, bares, lanchonetes e restaurantes

Marlene Rossafa, de 59 anos, sem comorbidades (doenças preexistentes), é a segunda pessoa moradora de Jales a sucumbir aos efeitos da Covid-19. Ela morreu no começo da tarde desta sexta-feira, 26 de junho, na Santa Casa de Jales, depois de ficar internada por quase dez dias. Até as 16 horas da mesma tarde, seu marido também permanecia internado para se tratar da mesma doença. Seu estado era considerado delicado, mas ele ainda não tinha sido levado para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva). O homem chegou a receber alta médica, mas seu estado piorou e ele voltou a ser internado na quinta-feira. As duas filhas do casal, que são médicas, e os outros familiares devem ser orientados a se manterem em isolamento. 


A Santa Casa explicou que a internação em UTI ou leito clínico depende de avaliação médica e segue diversos critérios, como comorbidades, níveis de pendência de oxigênio e a avaliação sobre a reação ao tratamento e evolução do estado de saúde. “Quem determina se o paciente vai para a UTI é o médico”, disse Rafael Carnaz, da Santa Casa de Jales.


O Boletim Epidemiológico divulgado pela Prefeitura de Jales no final da tarde de sexta-feira, 26, apontava que Jales tinha recebido 42 notificações de casos suspeitos para a Covid-19 nas 24 horas anteriores. Nas 24 horas anteriores (quinta para sexta) foram registrados 82 casos suspeitos. Foi o maior número até agora.  


CRIANÇA DE CINCO ANOS
Entre todos os casos notificados nas últimas 24 horas ou em datas anteriores e que aguardavam resultados, 16 testaram como negativos para a doença. Outros oito exames testaram positivos, sendo uma mulher de 35 anos e uma criança de cinco; e homens de 19, 30, 38, 42, 42 e 48 anos. 


Dos pacientes positivos que tinham sido notificados anteriormente, duas pessoas cumpriram o período de isolamento domiciliar de 14 dias, e tiveram alta médica, entrando para o quadro de curados por não apresentarem mais sintomas. 


O boletim também informava que na Ala de Síndrome Gripal da Santa Casa havia dez pacientes internados em leitos clínicos, sendo  cinco de Jales, um de Palmeira d’Oeste, dois de Santa Albertina, um de Urânia e um de Brasília.


Também havia dois pacientes internados na UTI Adulto para síndromes gripais. Um de Jales e um de Santa Salete.


Restaurantes e lanchonetes continuam sem atendimento presencial
Também no começo da tarde desta sexta-feira, 26, o Governo do Estado de São Paulo anunciou a 4ª Atualização do Plano São Paulo, cronograma de reabertura da economia no estado. A quarentena foi estendida até o dia 14 de julho. O avanço acelerado da pandemia no interior levou nove regiões para a fase vermelha, de restrição total de atividades não essenciais, entre elas estão Araçatuba, Barretos, Presidente Prudente, Marília, Bauru e Franca.


Jales está na área de abrangência do DRS XV, com sede em Rio Preto, uma das sete áreas do interior e litoral que permanecem na fase laranja, com reabertura de 20% da capacidade de escritórios em geral, imobiliárias, comércio de rua, shoppings e concessionárias por quatro horas diárias. Restaurantes e lanchonetes continuam apenas com atendimento por entrega (delivery) e drive thru (retirada no local). Por determinação do Estado, salões de beleza, academias, cinemas e teatros continuam impedidos de funcionar, bem como permanece proibido promover eventos que geram aglomeração, incluindo os esportivos. 


Já a melhora de índices em parte da Grande São Paulo permitiu que a capital e as sub-regiões do ABC e de Taboão da Serra avancem à fase amarela, que permite atendimento presencial restrito em bares, restaurantes e salões de beleza. 


A classificação, segundo o Governo do Estado, é feita com base na avaliação dos números apresentados por cada um dos 17 DRS (Departamento Regional de Saúde). São levados em consideração critérios como capacidade do sistema de saúde e evolução da epidemia, e indicadores como taxa de ocupação de leitos de UTI para tratamento de Covid, número de leitos por cada 100 mil habitantes, número de casos novos a cada semana, número de internações e número de óbitos. 

Deixe um comentário