“Mapa do Crack” aponta que Estrela e Santa Fé têm problema com a droga

050617093229.jpg
Tabela mostra as 32 cidades do Noroeste Paulista com problemas com o crack

A Confederação Nacional dos Municípios divulgou um estudo apontando que 9% das cidades do Estado de São Paulo, o sistema público de saúde tem atendido mais pessoas envolvidas com o crack do que com álcool. Na região Noroeste Paulista, 32 municípios aparecem no chamado “Mapa do Crack”, entre elas, Estrela d’Oeste e Santa Fé do Sul.

O mapa foi divulgado com a relação ao consumo alto de crack. Aparecem ainda na lista os municípios de Ilha Solteira, Três Fronteiras, São José do Rio Preto, Mirassol, Bálsamo,  Itapura, Riolândia, Pontes Gestal, Nova Granada, Guaraci, Severínia, Tabapuã, Jaci, Monte Aprazível, Poloni, Gastão Vidigal, Planalto, Zacarias, Buritama, Brejo Alegre, Glicério, Araçatuba, Valparaíso, Mirandópolis, Catanduva, Itajobi, Urupês, Novo Horizonte, Santa Adélia e Ariranha.

O estudo também apontou cidades onde o consumo da droga é considerado baixo e o município não apresenta problemas com o crack. Pontalinda está nessa lista que inclui ainda Santa Rita d’Oeste, Indiaporã, Macedônia, Onda Verde e Rubiacéia.

Nas ruas de Rio Preto a polícia apreendeu em 2017 cerca de 17 quilos de crack. Em todo o ano passado foram 75 quilos. (Fonte: G1).

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados
Feliz Natal