Jalesense é a primeira vereadora lésbica na Câmara de Florianópolis

120618094703.jpg
Assumidamente lésbica, Carla foi presidente da Juventude Petista de Jales

 

A jalesense Carla Ayres (PT) assumiu temporariamente uma cadeira de vereador da Câmara Municipal de Florianópolis (SC), onde ela mora há alguns anos. Ela tomou posse na terça-feira, 05, e substituirá por trinta dias o vereador Lino Peres (PT), que resolveu tirar uma licença para que seus suplentes tenham a oportunidade de assumir o cargo, em sistema de rodízio. Além de Carla, outros dois suplentes farão parte do rodízio. Será a primeira vez que a Câmara de Vereadores de Florianópolis vai ter entre seus parlamentares uma mulher lésbica, com atuação bastante ativa na causa LGBT. A titularidade de Carla ocorre durante o mês de junho, período em que é celebrado o “Mês do Orgulho LGBT” em todo o país.

Com 21 cadeiras, a Câmara de Florianópolis possui, na atual legislatura, apenas uma mulher – Maria da Graça Dutra (MDB) – entre os vereadores titulares e a predominância masculina é tão grande que a Comissão das Mulheres no Legislativo é integrada apenas por homens. Carla Simara Luciana da Silva Salasário Ayres, lésbica assumida, formou-se em Ciência Política e é doutoranda em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Ela concorreu pela primeira vez a um cargo eletivo em 2016 e, apesar de morar há pouco tempo em Florianópolis, foi a 46ª posição entre 375 candidatos à Câmara. Em Jales, Carla foi presidente da Juventude Petista e participou ativamente de campanhas do ex-prefeito Humberto Parini.

Carla acredita que terá muitos desafios a enfrentar em pouco tempo, mas ressalta que os trinta dias de sua interinidade serão suficientes para propor pautas importantes para o debate. “A minha primeira ação será reunir os coletivos de mulheres e LGBT da cidade para dialogar sobre as reivindicações construídas coletivamente. Não há necessidade de criar nada além do que elas já discutem”, explica Carla. A historiadora e pesquisadora Joana Maria Pedro, da UFSC, afirmou que Carla Ayres representa a diversidade da cidade. “Florianópolis precisa ser menos conservadora, olhar para as pessoas e perceber a miséria que está andando pelas ruas, a violência contra os pobres e contra os diferentes. Se a Carla propor projetos com este olhar para as pessoas já vai trazer um diferencial dentro da Câmara”.

Já a ex-deputada federal pelo PCdoB, Angela Albino, ressaltou que a posse de Carla é um momento histórico sob vários aspectos, seja pela tradicional sub-representação feminina na Câmara de Florianópolis, seja pela militância LGBT que ela simboliza. “A posse da Carla é um sopro de esperança neste mar sombrio que temos vivido”, destacou a ex-deputada.

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados