Jales terá programa para castração e contagem de animais

081121101452.jpg
Nilva Gomes, Carlos, Andréa Moreto e Milene firmaram uma parceria com a universidade de Fernandópolis para acelerar as castrações de PETs na cidade

Jales deverá receber em breve uma unidade para agilizar o atendimento de animais domésticos (cães e gatos) abandonados ou na posse de pessoas de baixa renda. Trata-se de um container pet itinerante, que prestará serviços como vacinação, castração e cadastramento de animais. O programa foi pedido pela vereadora Andréa Cristina Moreto Gonçalves para a deputada Analice Fernandes, que prontamente deu sinal positivo à reivindicação.  

“O Container Pet Itinerante será um equipamento que vai ter vacinação, castração e micro chipagem, fazendo um controle dos animais por localidade, ficando mais fácil ter o controle de natalidade desses animais. Temos hoje uma fila de mais de mil animais no Centro de Zoonoses para castração”, explicou a vereadora.

“Vai adiantar muito, podendo atender mais animais e com o censo teremos números reais sobre a população canina e felina em nosso município”, acrescentou.

Durante entrevistas radiofônicas concedidas nesta semana, a deputada confirmou o convênio. “Jales vai receber um container pet, um equipamento importantíssimo que vai passar de maneira itinerante por todos os bairros, e que vai dar toda atenção àqueles que têm os seus animais. Jales terá um controle digno da causa animal”. 

PARCERIA

Mas a iniciativa da vereadora vai além do programa governamental. Há cerca de dois meses, uma comitiva composta por Andréa Moreto, a secretária de Saúde, Nilva Gomes, o veterinário do Centro de Zoonoses, Carlos Eduardo Geraldeli da Silva, e a servidora da Secretaria, Milene Tarlao Navas Settemo, esteve em Fernandópolis para buscar uma parceria com a Universidade Brasil para agilizar o número de castrações na cidade. A instituição vai ceder estagiários do curso de medicina veterinária que farão um mutirão de castração. O município vai disponibilizar os insumos que serão usados nos procedimentos. “O acordo já foi firmado e falta apenas marcar a data para assinatura e dar início ao trabalho”, disse.

Andréa lembrou que o abandono de animais é caso de saúde pública e afeta toda a população já que pode resultar na proliferação de doenças como a raiva e a leishmaniose.

Deixe um comentário