Jales sediará encontro com representantes das 47 Dioceses do Estado

120917102940.jpg
O Padre Sardinha disse que o encontro discutirá os desafios da vida urbana

A Diocese de Jales vai atrair cerca de 400 leigos, padres, bispos, seminaristas, religiosos e demais representantes das 47 dioceses existentes em todo o Estado de São Paulo para um evento estadual entre os dias 15 e 17 de setembro. Trata-se do 14º Encontro Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base, que acontecerá na Escola Vocacional como forma de preparação para o Encontro Nacional, marcado para o período de 23 a 27 de janeiro de 2018, em Londrina-PR. Além de sediar o encontro estadual, Jales terá quatro delegados, além dos dois bispos.

O Vigário Geral da Diocese, padre Antônio de Jesus Sardinha, explicou, em entrevista ao repórter Vitor Inácio, que o grupo discutirá os desafios da vida urbana, como o tema sugere. Este ano, o tema será “CEBs e os desafios do mundo urbano”, com o lema: “Eu vi e ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-lo”.

O evento acontece em média a cada quatro anos e Jales foi escolhida porque é uma das dioceses pioneiras na experiência de fé comprometida com as mudanças da realidade social. “Lá pelos idos de 1960, tínhamos, como temos ainda hoje, características rurais e as comunidades da época buscavam, em torno das celebrações, soluções de problemas conjuntos como a venda dos produtos, então tinham experiências de compra e venda conjunta [de forma cooperada] que passaram a ser usadas também nas cidades”.

Esta, segundo o vigário geral, é a realidade de uma igreja que busca soluções para os seus membros. É preciso se pensar numa fé que tenha compromissos com o próximo. “O mundo de hoje é muito individualista e todo mundo acha que tem que ter uma fé apenas para satisfazer o próprio coração, mas não uma fé que tenha compromisso com o outro ou com situações que ele tem que transformar. E é isso que estamos buscando”.   

Segundo o Texto Base do 14º Intereclesial, a vivência religiosa não pode deixar de ser influenciada pelo processo de urbanização. No caso específico da Igreja Católica, as Paróquias e Comunidades têm sofrido grande impacto desta nova forma de viver em sociedade. E as Comunidades Eclesiais de Base sofrem também, necessitando pensar e viver a experiência de fé dentro de uma realidade de pluralismo religioso.

Mesmo diante de tantos desafios e dificuldades, as CEBs em comunhão com a igreja, deve cultivar a vida espiritual dos seus membros, levando a esperança de um mundo melhor.

Segundo a Diocese de Jales, “os meios urbanos sofrem constantes mudanças no decorrer dos dias, mudando toda a dinâmica de viver em sociedade, tais mudanças gera a exclusão social e diversos desafios urbanos na cultura, na economia, na saúde e em tantos outros, e com isso a igreja tem a missão de encarar este desafio de modo diferente, sem deixar de propor o caminho de Jesus Cristo para o mundo de hoje,discutindo o direito à cidade, no sentido de que todos os habitantes possam ser incluídos no seu planejamento e construção, sem discriminações e privilégios”.

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados