Jales não registra óbitos por Covid há mais de dez dias

130921104539.jpg
.

Os boletins diários divulgados pela Santa Casa de Jales entre sábado e quinta-feira, (4, 5, 6, 7, 8 e 9 de setembro, respectivamente) não registraram pacientes da cidade internados no setor especial para atendimento de casos de síndromes gripais, onde são tratados os casos de Covid-19. Foram seis dias sem pacientes com a doença. É a primeira vez que isso acontece desde que o setor foi instalado em março do ano passado.   

Segundo a Prefeitura de Jales, neste mês ainda não foi registrado nenhum óbito em decorrência da doença. Os últimos foram registrados no dia 30 de agosto (um homem de 82 anos) e no dia 31 (uma mulher de 66 anos). 

No sábado, 4, o Boletim da Santa Casa já mostrou que a semana seguinte seria alvissareira. O Boletim divulgado pelo hospital naquela manhã informava que havia apenas um paciente de Jales internado na unidade. Na segunda-feira, 6, o informe explicava que esse único internado na UTI tinha testado negativo para a Covid. Na mesma tarde ele foi transferido para a UTI “normal” e o caso saiu da tabela.     

Ainda na segunda-feira, 6 de setembro, o Boletim informava que havia apenas três pacientes na enfermaria (de Dolcinópolis, Paranapuã e de outra localidade) e três na UTI (um de Marinópolis e um de Paranapuã). O terceiro paciente era o de Jales, que testou negativo para Covid.  

A boa situação de Jales permaneceu assim pelos dias seguintes. Na quarta-feira, 8 de setembro os índices de ocupação da enfermaria eram de apenas 20% (dois pacientes internados) e de apenas 40% na UTI (quatro internados), todos de outras cidades. 

Infelizmente, o Boletim divulgado na manhã de sexta-feira, 10, interrompeu a boa sequência. Naquela manhã havia dois pacientes de Jales na enfermaria. Um de 65 e outro de 40 anos. 

De acordo com a Vigilância Epidemiológica do município, entre a tarde de quinta-feira e a de sexta, foram registradas apenas 30 notificações de casos suspeitos para o novo coronavírus.

Entre esses casos ou os notificados anteriormente e que aguardavam resultados de exames, 20 testaram como negativos, 11 foram descartados por critérios e apenas dois receberam resultados positivos. Os casos positivos foram diagnosticados em uma mulher de 44 anos e um homem de 23 anos. As unidades de referência dos novos casos positivos são o Núcleo Central de Saúde e Paraíso.

Outras quatro pessoas foram recuperadas da Covid-19 e liberadas do isolamento domiciliar. Com elas, Jales contabilizava 8.162 pacientes curados.

BALANÇO 

Um balanço publicado pela Santa Casa mostra que até 22 de abril de 2021, o hospital realizou 1.534 atendimentos a pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19. Apenas em 2021, foram 409 pacientes. O primeiro atendimento foi realizado em 3 de março de 2020.

Os pacientes eram de Jales e municípios que fazem parte das cidades referenciadas: Aparecida d´Oeste, Aspásia, Dirce Reis, Dolcinópolis, Marinópolis, Mesópolis, Palmeira d´Oeste, Paranapuã, Pontalinda, Santa Albertina, Santa Salete, Santana da Ponte Pensa, São Francisco, Urânia e Vitória Brasil, regulados pela DRS-XV de São José do Rio Preto, além de receber também pacientes de outras cidades e estados. Foi o que aconteceu neste mês, quando um paciente de Jardinópolis-SP (região de Ribeirão Preto) ficou internado na UTI entre os dias 1º e 6 de setembro. 

FASE CRÍTICA

A situação atual é, sem dúvidas, muito mais confortável do que a de poucos meses atrás, quando todos os 11 leitos da UTI e os 20 da enfermaria do setor de síndromes gripais estavam ocupados. Em várias oportunidades, os pacientes tiveram que permanecer internados na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) até que uma vaga fosse aberta na Santa Casa de Jales ou em outro hospital, ainda que distante.   

Em um dos períodos mais dramáticos da pandemia em Jales, entre o fim de março e o começo de abril, a população acompanhou uma contagem mórbida através dos informativos distribuídos pela Prefeitura de Jales. Foram 33 óbitos e 848 casos positivos entre a primeira e a última segunda-feira do mês de março. A média semanal era de 212 novos casos, ou 30,28 casos por dia. A média diária de óbitos foi de 1,13 vítimas.

A tarde da terça-feira, dia 30, foi a mais fatídica. Num intervalo de poucas horas foram registrados cinco óbitos na UPA Jales. Além disso, houve o registro de mais dois outros óbitos de jalesenses, totalizando sete perdas somente naquele dia.  

Na UPA foram vítimas da Covid-19 duas mulheres de Jales: uma de 70 e outra de 80 anos. Ambas estavam intubadas. Também faleceram um homem de 58 anos, de Santa Albertina, intubado, e uma mulher de 78 anos, moradora de Paranapuã, que estava na enfermaria. E uma mulher de 87 anos, de Jales, cujo caso era considerado suspeito, mas os exames confirmaram a causa da morte no dia seguinte.

Além desses cinco, houve ainda o falecimento, na madrugada daquela terça-feira, de uma mulher de 65 anos que estava internada na Santa Casa de Jales, e de um homem de 46 anos, que estava internado no Hospital Beneficência Portuguesa, em São José do Rio Preto. Houve o registro, também na Unidade de Pronto Atendimento, de um óbito de uma mulher de 87 anos. 

Foi preciso adotar medidas restritivas severas e recorrer a técnicas alternativas, como os capacetes elmo, usados desde então na Santa Casa e na UPA (Unidade de Pronto Atendimento). A Prefeitura complementou as medidas, destinando uma unidade de saúde exclusiva para atendimento de pacientes com problemas respiratórios e suspeita de terem contraído a doença.   

Segundo o administrador hospitalar, Rafael Carnaz Prado, no próximo dia 16, haverá uma ampla reunião com os integrantes e diretoria da CIR (Comissão de Intergestores Regionais) e do DRS XV (Departamento Regional de Saúde) para decidir se haverá nova redução das vagas, já que a demanda por leitos caiu consideravelmente.

Deixe um comentário