Jales apresenta o menor crescimento populacional da região em 7 anos

040917105806.jpg
Nos últimos sete anos, Jales cresceu proporcionalmente menos que Santa Fé, Fernandópolis, Votuporanga e outras cidades da região

Estimativa divulgada na manhã da última quarta-feira, 30 de agosto, pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) avalia que Jales ganhou 2.098 habitantes desde o último censo realizado em 2010. Há sete anos, a cidade tinha 47.012 habitantes e em 1º de julho de 2017, de acordo com a estimativa, tinha 49.110. O crescimento é de 4,46% e é o menor entre as cidades médias da região noroeste paulista. Mirassol, por exemplo, cresceu 9,23% (mais que o dobro de Jales) saltando de 53.792 em 2010 para 58.760 neste ano. Crescimento de 4.968 habitantes.

Na outra ponta, a que mais cresceu foi São José do Rio Preto, que em 2010 tinha 408.258 habitantes em agora tem 450.657. Crescimento de 42.399 pessoas ou 10.38% da população.

Entre as mais próximas a Jales, Santa Fé do Sul também se destaca. A cidade, que é Estância Turística, ganhou 2.563 desde o Censo de 2010, subindo de 29.239 habitantes naquela época para 31.802 atualmente. A evolução é quase o dobro da verificada em Jales ou 8,67% mais habitantes em sete anos.

Fernandópolis, por sua vez, foi a segunda que menos cresceu entre as médias, chegando a 68.670. O aumento foi de 3.974 habitantes, em relação a 2010, ou 6,14%. Votuporanga teria atualmente 92.768 moradores, tendo ganhado 8.076 pessoas ou 7,17% em relação aos 84.692 em 2010.

Ainda assim, Jales obteve resultado mais favorável que duas de suas vizinhas. Estrela d’Oeste cresceu apenas 3,14%, tenho ganhado 258 habitantes entre 2010, quando tinha 8.208 e 2017 quando teria alcançado 8.466 moradores. Urânia também cresceu menos que Jales, tenho ganhado apenas 312 habitantes entre 2010, quando tinha 8.836 moradores e atualmente quando teria 9.148. O crescimento foi de apenas 3,5%.

Araçatuba, outro centro de região, tem atualmente 194.874 habitantes. 13.295 a mais que os 181.579 contados no censo de 2010. Aumento de 7,32%.

As estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são referência para vários indicadores sociais, econômicos e demográficos. A sua divulgação é anual.

EVOLUÇÃO

Há exatamente um ano, em 30 de agosto de 2016, o Instituto divulgou estimativas sobre a evolução populacional nos dois anos anteriores, ou seja, desde 2014. De acordo com esses cálculos, Jales teria ganhado 192 habitantes nesse período, subindo de 48.825 habitantes para 49.017.

A estimativa de 2016 também previa que a população de Fernandópolis tinha subido de 67.836 habitantes para 68.399 entre 2014 e 2016. Votuporanga subiu de 90.508 habitantes em 2014 para 92.032 no ano passado. Santa Fé do Sul, que teria 31.113 em 2014, tinha 31.578 no ano passado. São José do Rio Preto tinha em 2014 uma população estimada em 442.548 habitantes e saltou para 446.649 habitantes em 2016.

NACIONAL

O IBGE estima que o Brasil tenha 207,7 milhões de habitantes e uma taxa de crescimento populacional de 0,77% entre 2016 e 2017, um pouco menor do que a taxa 2015/2016 (0,80%).

O município de São Paulo continua sendo o mais populoso do país, com 12,1 milhões de habitantes, seguido pelo Rio de Janeiro (6,5 milhões de habitantes), Brasília e Salvador (cerca de 3,0 milhões de habitantes cada). Serra da Saudade (MG) é o município brasileiro de menor população, 812 habitantes, seguido de Borá (SP), com 839 habitantes, e Araguainha (MT), com 931 habitantes.

No ranking dos estados, os três mais populosos estão na região Sudeste, enquanto os cinco menos populosos estão na região Norte. O líder é São Paulo, com 45,1 milhões de habitantes, concentrando 21,7% da população do país.

As populações dos municípios foram estimadas por um procedimento matemático e são o resultado da distribuição das populações dos estados, projetadas por métodos demográficos, entre seus diversos municípios. O método baseia-se na projeção da população estadual e na tendência de crescimento dos municípios, projetada nos números captados pelos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010). As estimativas municipais também incorporam alterações de limites territoriais municipais ocorridas após 2010.

 

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados