Hospital de Amor Jales alerta para prevenção de câncer de cabeça e pescoço

080719155525.jpg
Equipe do Hospital do Amor unidade de Jales, especialista em câncer de cabeça, pescoço e pele

Começou na última segunda-feira, dia 1º, a campanha “Julho Verde” em todo Brasil, inclusive, no Hospital de Amor Jales.  A ação que teve início há cinco anos quando, ficou instituído pela Federação Internacional das Sociedades Oncológicas de Cabeça e Pescoço (IFHNOS) e pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), que o dia 27 de julho seria o ‘Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço’.

A DOENÇA

O câncer de cabeça e pescoço compreende um grupo de neoplasias classificadas por localização, em áreas diretamente envolvidas com as funções de fala, deglutição, respiração, paladar, olfato e outros.

De acordo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se que a cada ano sejam diagnosticados 640 mil novos casos de câncer. Os cirurgiões do departamento de cabeça e pescoço do HA, dr. Filipe Minzon e dr. Sávio Costa de Paula afirmam que “o câncer de cabeça e pescoço é o segundo tipo de câncer mais frequente em homens atualmente, e o quarto com mais incidência em mulheres, com exceção do câncer de pele não melanoma, que também é considerado câncer de cabeça e pescoço e um dos que mais matam a população”.

Ainda segundo o INCA, é esperado a cada ano 43 mil novos casos de câncer de cabeça e pescoço no Brasil. São 10 mil mortes ao ano, decorrentes do câncer de laringe e cavidade oral. Tudo isso decorrente do diagnóstico tardio.

SINTOMAS

Entre os sintomas mais comuns estão: manchas na boca, dor, lesão ulcerada ou com sangramento e cicatrização demorada, nódulos e caroços no pescoço e/ou mudanças na voz ou rouquidão que persistem por mais de três semanas, emagrecimento sem causa explicada e dificuldade para engolir.

FATORES DE RISCO

Os fatores de risco para a doença são muito singulares, ou seja, pode diversificar de acordo com cada paciente. Alguns hábitos podem favorecer o desenvolvimento dos tumores, como por exemplo: o alcoolismo, o tabagismo e as relações sexuais desprotegidas (que está relacionada ao HPV). Segundo dr. Sávio “a infecção pelo HPV é um importante fator de desenvolvimento do câncer de faringe. Uma das formas de contágio por essa infecção é por meio da prática do sexo oral e em pessoas com múltiplos parceiros sexuais. Uma das formas mais eficientes de prevenção contra o HPV é a vacina, realizada nas crianças dos 9 aos 13 anos antes do início da atividade sexual”.

Hábitos comuns como o de não se alimentar de forma saudável, a falta da prática de exercícios físicos regularmente, bem como a não frequência regular ao profissional de saúde também são fatores de risco para o câncer de cabeço e pescoço.

Especialistas orientam também que as pessoas se habituem a examinar sua boca regularmente, já que, se detectadas na fase inicial, as neoplasias apresentam até 80% de chances de cura.

AÇÕES

Vestindo a camisa mais uma vez, a unidade de Jales está participando desta campanha e ao longo das semanas do mês de julho, além da distribuição dos famosos lacinhos confeccionados pela equipe dos voluntários da AVCC e a iluminação dos prédios na cor verde, o hospital realizará ações a fim de disseminar informações para a população e alertar para a importância do diagnóstico precoce.

No dia 24 de julho, será realizada uma ‘Mesa Redonda’ para falar de Prevenção de Câncer de Cabeça, Pescoço e Pele aos profissionais de saúde de Jales e da região. O evento será gratuito e as vagas serão limitadas. Para fazer a inscrição, basta encaminhar um e-mail até dia 22 de julho para simoni.colaviti@hcancerjales.com.br, constando nome, função e cidade de cada participante.

Outra ação é intensificar a disseminação das informações, por isso, durante todo o mês, os médicos Sávio e Filipe também farão uma maratona de entrevista, a fim de reduzir as dúvidas da população sobre o tema.

 

Dara Freitas

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados