Flá nega liberação de academias, salões de beleza e restaurantes

180520100111.jpg
O restaurante do Marcelo Lopes é um dos que trocaram o grande salão por outro menor

O prefeito de Jales, Flávio Prandi Franco, o Flá (DEM), rebateu rumores e informações falsas dando conta de que tinha flexibilizado a abertura de estabelecimentos comerciais e de serviços, como academias, salões de beleza e restaurantes. Em Nota de Esclarecimento emitida pela Secretaria Municipal de Comunicação na quinta-feira, dia 14, a Prefeitura reitera que seguirá “as recomendações presentes nos Decretos publicados pelo Governo do Estado de São Paulo. “As academias de ginástica do município permanecem fechadas e os restaurantes funcionando em sistema Delivery”, frisou.


A manifestação da Prefeitura foi motivada por notícias desencontradas publicadas na internet e até na TV que garantiam que o prefeito tinha seguido a Medida Provisória (MP) publicada no dia anterior pelo Governo Federal incluindo essas atividades no rol de essenciais e, portanto, com regime de funcionamento mais liberal.


O jornal A Tribuna apurou que a notícia surpreendeu o gabinete do prefeito e assessores próximos, que não entenderam de onde partiu o boato. A suspeita é que o título de uma postagem em um blog da cidade tenha motivado o engano. 


Na quarta-feira, um dos promotores que atuam em Jales chegou a ligar para o prefeito para obter alguns esclarecimentos informalmente e teria alertado o prefeito sobre a possibilidade de ajuizar uma Ação Civil Pública contra ele. 


No entendimento do MP e do Governo Estadual, as academias e restaurantes são estabelecimentos que oferecem riscos altos de contaminação devido ao contato próximo e uso de equipamentos comuns e é preciso seguir as orientações contidas nos decretos estaduais.     


NÃO ESSENCIAL
Nesta semana, alguns donos de academias e de restaurantes procuraram o prefeito pessoalmente para pedir a reabertura ou flexibilização de seus estabelecimentos. A reivindicação foi reforçada pela MP do presidente Bolsonaro. Entretanto, o prefeito reafirmou a eles que, por ora, vai manter as orientações do governo Dória. O jornal apurou que o prefeito está tentando encontrar alternativas, mas não pretende voltar atrás nos próximos dias.  


Por outro lado, Flá também rebateu boatos de que estaria pretendendo aumentar as restrições de funcionamento do comércio em geral. Em entrevista para ao repórter Vitor Inácio, da Rádio Assunção, Flá foi enfático. “Não vamos recuar nisso. Se precisar, vamos renovar o decreto. Entendemos que estamos cumprindo o Decreto Estadual. O comércio teve, sim, uma melhora [depois da flexibilização], evoluímos nisso, começou uma comercialização mesmo que com muita dificuldade e hoje o nosso comércio pode respirar um pouco. Precisamos dar uma olhada para aqueles setores que ainda estão fechados, mas o que está estabelecido não volta atrás. Vamos continuar com esse formato”.   


Segundo o prefeito, permanece em vigor o Decreto Municipal que autoriza as vendas em sistema de retirada (drive trhu) e por entregas domiciliares (delivery) enquanto durar a quarentena estabelecida pelo governador João Dória pelo menos até o dia 31 de maio.


NOVO DECRETO
Nesta semana, a Prefeitura de Jales publicou um novo decreto mantendo a suspensão da Zona Azul, o transporte coletivo intermunicipal de passageiros na modalidade fretamento; o transporte coletivo urbano e impõe restrições aos velórios.


Até o dia 31 de maio de 2020, fica limitado o acesso de pessoas a velórios e afins a 10 pessoas por sala e duração máxima de até 4 horas. O horário de funcionamento dos velórios no município continua restrito entre 6h e 18h. Caso o sepultamento na aconteça até as 18h, os velórios deverão ser fechados e reabertos somente no dia seguinte. Nos casos em que o óbito for resultante de doença infectocontagiosa, fica vedada a realização de velório. Também fica vedada a realização de velórios em residências. 

Deixe um comentário