Flá estende atendimento nas repartições municipais

060420102409.jpg
Os trabalhadores das empresas terceirizadas não estão protegidos pelas restrições decretadas pelo prefeito Flá

Decreto nº. 8.066, publicado no Diário Oficial Eletrônico do Município de Jales na última quarta-feira, de 1º de abril, estendeu o horário de funcionamento das repartições públicas em uma hora. O decreto anula o anterior que estipulava o horário das 8h às 11 horas e estende até as 12 horas. Exceto a Secretaria Municipal de Saúde, a Defesa Civil, demais unidades que prestam serviços essenciais e do interesse público, que tenham o funcionamento ininterrupto.


A publicação não explica os motivos pelos quais Flávio Prandi Franco tomou a decisão, mas por telefone, o prefeito disse que alguns serviços podem ser considerados urgentes e não podem ser adiados. “Nós vamos conseguindo ampliar porque você tem um serviço de urgência. Às vezes o cara quer fazer um protocolo tributário ou alguma coisa nesse sentido, então você tem que abrir, não pode ser serviço fechado porque também é essencial”. 


O jornal apurou que a intenção da Prefeitura é reabrir os serviços municipais disponíveis no Poupa Tempo. “Serviços essenciais não podem parar então nós estamos revendo tudo”.


O fechamento das repartições públicas foi um pedido do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Jales e Região, que oficiou a Prefeitura sobre o assunto. 

 
O Sindicato queria preservar a segurança dos servidores. No seu site na internet, a entidade informa que considera positivas, porém insuficientes, a restrição do horário de trabalho e fluxo dos servidores públicos das 8h às 11h. 


“Não há o que se questionar quanto aos serviços essenciais, mas consideramos que todos os outros serviços devem ser fechados por completo”, ressalta o presidente do Sindicato, José Luís Francisco.


Também não está explícito no novo decreto, mas o prefeito disse que “todo o atendimento será feito de forma regrada, entrando um por vez para não causar aglomeração”. 


OBRAS NÃO PARAM
A decisão ignora as considerações do próprio decreto, que destaca que há um sério risco de disseminação do vírus entre os servidores e o público que frequenta os equipamentos municipais. “Há risco potencial da doença atingir a população mundial de forma simultânea, não se limitando a locais que já tenham sido identificados como transmissão interna; que a taxa de mortalidade vem aumentando de forma significativa; que a adoção de hábitos de higiene não vem se afigurando suficiente a impedir a disseminação do vírus e de admitir que há um alto risco de disseminação do novo coronavírus se mantido o fluxo regular de pessoas nos prédios do Poder Executivo Municipal de Jales, tanto no tocante aos públicos interno e externo; especialmente nos servidores e público em geral que frequenta os prédios públicos do Município”. 


A preocupação do prefeito parece ser menor ainda quando se trata da saúde dos trabalhadores das empresas que prestam serviço para a Prefeitura de Jales. Até agora, não foi divulgada nenhuma medida para protege-los, muito menos para interromper o trabalho temporariamente. Ao contrário. O prefeito confirmou que as obras em andamento não serão interrompidas. “As obras não são nossas, são contratadas e a construção civil não foi incluída no Decreto Estadual, então estão liberadas, tanto que as empresas de material de construção estão funcionando normalmente”.

Deixe um comentário

Parceiros

290420095635.jpg
200420103240.jpg 290420095031.jpg
290420100901.jpg
290420103741.jpg

Social

Nenhuma notícia encontrada.

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Você é a favor do isolamento social para combate do Coronavírus?




Resultados