Flá e vereadores participam de mobilização contra cortes nos recursos

241017093637.jpg
O prefeito Flá, vereadores, autoridades e representantes de 40 cidades participaram da mobilização nas ruas de Jales

 

Com a participação do prefeito Flávio Prandi (DEM) e dos vereadores Fábio Kazuto (PSB), João Zanetoni (PSB), Bismark Kuwakino (PSDB), Vanderley Vieira (PPS) e Vagner Selis (PRB), representantes de entidades e profissionais da assistência social de cerca de 40 municípios da região realizaram na quarta-feira, 18, uma manifestação contra os cortes propostos pelo governo federal no orçamento do Sistema Único de Assistência Social (SUAS). A mobilização em defesa do SUAS teve uma concentração na Câmara Municipal, onde foram discutidas estratégias para tentar evitar os cortes anunciados pelo governo Temer, e uma passeata pelo centro da cidade, com o objetivo de chamar a atenção da população para as consequências dos possíveis cortes no orçamento.

Um dos profissionais que prestam serviços na área da assistência social, o psicólogo do CREAS, Igor Zinza, falou sobre a mobilização: “Essa ação é uma das mais importantes feitas por cada um dos 49 municípios envolvidos e por cada entidade. Nós não podemos aceitar nenhum retrocesso no SUAS”. A assistente social Daniela Oliveira Nunes deixou claro que os cortes previstos no orçamento trarão prejuízos para todas as pessoas atendidas pelo SUAS. “Nós precisamos conscientizar a população de que, com essas mudanças do governo federal, todo o público atendido pela assistência social vai ser atingido diretamente”.

Segundo Daniela, Jales tem cerca de 5.000 pessoas inscritas no Cadastro Único da Assistência Social. “Só no Bolsa Família são mais de 2.000 pessoas. No BPC, que atende idosos, deficientes, etc., são mais 2.000. Esses dois programas serão seriamente atingidos pelos cortes”. Ela esclareceu que um dos objetivos da mobilização era definir estratégias para chegar a deputados e senadores. “Nós ainda não tivemos contato com eles, mas hoje nós vamos deliberar ações para encaminhar ao Senado e à Câmara Federal”, disse Daniela.

Uma das lideranças do movimento, a assistente social Elaine Friozi, de Ouroeste, afirmou que o orçamento proposto pelo governo federal não traz apenas cortes. “Na verdade, essa proposta representa um desmonte do SUAS e vai inviabilizar a assistência social em todo o país”. Ela disse que, segundo a lei, a assistência social tem que ser financiada pelos governos federal, estadual e municipal, mas, sem o dinheiro do governo federal, os municípios ficarão sobrecarregados. “Os municípios pequenos não têm condições de financiar os serviços”, ressaltou Elaine, que é coordenadora do CRAS de Ouroeste, professora do curso de Serviço Social da Fundação Educacional de Fernandópolis(FEF) e autora do livro “O Processo de Implementação do SUAS”, que traz um estudo do trabalho desenvolvido pela assistência social na região noroeste paulista.

Segundo Elaine, muita gente ainda não tem consciência do que está acontecendo, mas boa parte da população atendida pela assistência social já está bastante preocupada com a situação. “Nós tivemos apenas 15 dias para realizar um trabalho de conscientização junto à população atendida, mas já tem muita gente preocupada. Agora nós precisamos ser rápidos nas nossas estratégias, pois a votação do orçamento deverá acontecer até o final de outubro”. Ela esclareceu, ainda, que todos os 49 municípios da região estão se mobilizando para colher assinaturas para serem enviadas aos congressistas. Além disso, “nós temos algumas frentes de defesa do SUAS e até conselhos de classe fazendo articulações em Brasília”, finalizou Elaine.

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados