Ex-morador de Jales fatura R$40 milhões vendendo comida brasileira

280817151046.jpg
Os sócios Adriano Massi e Jhonathan Ferreira da Silva faturaram R$ 40 milhões com o Brasileirinho Delivery no ano passado

 

O ex-morador de Jales, Jhonathan Ferreira da Silva, 31 anos e seu sócio, o rio-pretense Adriano Massi Lima, 29, ganharam destaque recentemente na mídia nacional por se destacarem em um negócio inovador e ousado: eles criaram o Brasileirinho Delivery, restaurante que vende comida brasileira em box (caixinhas). Atualmente a rede possui 113 unidades em operação e outras 115 em fase de implementação. O negócio rendeu faturamento de R$ 40 milhões no ano passado e promete duplicar o valor este ano.

Jhonathan nasceu em Alto Araguaia-MT e viveu em Jales entre os anos de 1994 e 2006, ao lado dos pais, Marta e Max, e as irmãs Jannyne e Giordany. O jovem vem de uma família tradicional no setor da agropecuária em Goiás e no Mato Grosso. Após cursar administração de empresas em Rio Preto, conheceu o sócio Adriano, que já possuía experiência no franchising.

O começo não foi fácil. Assim que o negócio tinha acabado de começar, os sócios chegaram a ouvir duras críticas de um consumidor. Ele disse que a comida vinha toda misturada na caixa e que não dava para distinguir o sabor. “Foi duro. Ele chegou a dizer que aquilo não era comida de gente”, contou Jhonatham em uma matéria da Revista Exame, pulicada em julho deste ano. O tema já havia sido discutido por outros clientes, mas a forma áspera como o consumidor falou, fez com que Adriano e Jhonathan percebessem que a questão era urgente.

A empresa soube aproveitar as críticas do cliente e o resultado foi revolucionário, segundo os sócios. Eles se reuniram com o fornecedor de embalagens, pediram melhorias nas caixinhas e colocaram divisórias nos boxes que levavam ingredientes de não deveriam se misturar. O negócio começou a deslanchar.

“Entramos em contato com aquele cliente que havia feito a dura reclamação, mostramos a nova embalagem e pedimos sua opinião. Ele ficou muito satisfeito e nos parabenizou”.

Após a mudança o índice de reclamações do “Brasileirinho” foi praticamente zerado. Meses depois apareceram os primeiros interessados em abrir franquias da empresa. “Hoje temos 113 unidades operando e outras 115 estão em fase de implementação”.

E a empresa continua ouvindo os clientes, tanto que recentemente, lançou opções de pratos veganos em seu cardápio. “Um cliente nos procurou várias vezes dizendo que faltavam opções veganas. Outra mudança que veio dos clientes foi a inclusão de opções mais leves, como as saladas”, contou Jhonathan para a Exame. Atualmente, a rede tem três opções de pratos veganos: nhoque de batata doce, mexidinho vegano e estrogonofe de palmito.

“A proposta da Brasileirinho Delivery é entregar ‘comida de vó’ de um jeito prático e barato. Dentre os pratos há baião de dois, arroz carreteiro e feijoada”, frisou o sócio Adriano.

Para abrir uma franquia da marca, o investimento inicial vai de R$100 mil a R$130 mil. O faturamento médio mensal pode chegar a 60 mil reais, com lucratividade de 20%. (fonte: Revista Exame/Mariana Desidério).

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados