Empresa descarrega tubulação e bloqueia acesso a residências

220620111500.jpg
Moradores reclamam que empresa não os respeitam. Na manhã de sexta-feira, flagramos operários colocando tubos de cimento na entrada das casas

Na semana que passou, mais precisamente na terça-feira,16 de junho, a reportagem do jornal A Tribuna foi chamada por uma moradora do Jardim do Bosque para comparecer ao bairro e verificar a situação da obra que está em andamento no local. “Sem condições de viver aqui. Meu Deus até quando isso? Pelo amor de Deus, nos ajude”. 


Inicialmente, imaginamos que se tratava apenas de um pequeno transtorno causado pela poeira. Então, dois dias depois, estivemos no endereço informado. Rua Vereador Domingos Rossi Filho, e constatamos que a situação era bastante difícil e até surpreendente. 


A moradora estava desesperada e reclamando da demora no andamento das obras. “A minha calçada está afundando. É muita poeira, lama e transtorno. Desde fevereiro está tudo parado aqui na minha rua e em outras também. Não sei falar se é regra da empresa ir fazendo a obra por etapas, mas acho que deveriam dar atenção aqui que está aberto”, disse a moradora da rua.


As reclamações eram absolutamente pertinentes e indicavam que as empresas que estão executando as obras não estão preocupadas com o bem estar da população ou em evitar os danos causados pelas severas intervenções. De forma absolutamente predatória, “rasgam” as ruas, deixam buracos enormes abertos durante meses, danificam calçadas, depositam material de construção em qualquer lugar, e alguns operários ainda são mal educados com os moradores. 


Os registros fotográficos feitos durante a visita, por volta de 7h30 da manhã de sexta-feira, 19, não deixam dúvidas. Flagramos uma equipe da empresa Noromix descarregando diversas manilhas de cimento sobre as calçadas das residências. O procedimento bloqueava a entrada das casas, causando espanto e surpresa nos moradores. Testemunhamos quando um deles foi acordado pelos operários que pediram que ele tirasse o carro da garagem para o veículo não ficar preso. Conversamos com o homem, que estava acompanhado da sua esposa. “Olha que coisa. Imagina se eles vão rasgar a rua até as cinco horas da tarde e tirar esses tubos da minha calçada. Hoje é sexta-feira, vou ficar com o carro na rua até segunda-feira?”.  


A situação dos vizinhos era ainda pior. Como era muito cedo, a maioria deles não tinha retirado os veículos das garagens e teriam muita dificuldade de sair para trabalhar.


“LEVE  O CARRO NAS COSTAS”
A moradora que chamou a reportagem reclamou do processo de execução da obra. Segundo ela, o serviço é dividido entre várias empresas, que fazem o trabalho de forma independente e com um intervalo muito grande entre cada tarefa. “Primeiro vieram aqui e furaram o bairro inteiro. Isso foi em fevereiro. Depois deixaram esses buracos abertos e hoje é que vieram com esses tubos. Quando chove vira um lamaçal e quando não chove é um poeirão que nem dá pra lavar a roupa ou deixar a janela aberta. Onde já se viu, com esse calor de Jales, a gente ter que deixar a casa fechada?”, reclamou.


“E eles não são nem um pouco educados, não. Outro dia eu falei com um funcionário, um moreno que parece ser um chefe deles. Eu disse que estava difícil sair e entrar com o carro porque o buraco é bem na frente da minha casa. Sabe o que ele respondeu? Que se eu não quisesse sujar o meu carro de lama, deveria carregar ele nas costas. Fiquei indignada!”


Os danos às calçadas das residências também são alvo de críticas dos moradores. “Queria saber quem vai pagar o conserto das calçadas. Eles passam com caminhão e as máquinas em cima e nem querem saber. Os moradores que se danem”. 


PREFEITURA PEDE PACIÊNCIA
Há cerca de um mês, o secretário de Obras, Manoel de Aro, disse ao jornal A Tribuna que é impossível realizar uma obra tão vultosa como aquela, sem causar transtornos à população. “Infelizmente, as intervenções são muito significativas e realmente podem desagradar a população, que tem razão em reclamar. Pedimos paciência porque o que estamos fazendo é para resolver o problema definitivamente”.

Deixe um comentário