Em menos de 15 dias, Prefeitura transfere duas vezes o depósito de resíduos da construção civil

080817093236.jpg
Antes de voltar para área no Aterro Sanitário, o depósito havia sido transferido para local próximo da COHAB Pedro Nogueira

Em menos de 15 dias, a Prefeitura de Jales transferiu de local, duas vezes, o depósito de resíduos de construção civil utilizado por empresas que prestam serviços de “caçamba” na cidade. O secretário de Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Mobilidade Urbana, Niltinho Suetugo, que responde interinamente pela secretaria de Obras, Serviços Públicos e Habitação, explicou o “vai e vem” e disse que dessa vez, a mudança é definitiva. Para conferir de perto o resultado, na manhã do dia 1º de agosto, o presidente da Câmara Municipal de Jales, Vagner Selis (PRB), o Pintinho e o vereador Vanderley Vieira (PPS), o Deley fizeram questão de visitaram a área que será utilizada para depósito de resíduo.

O assunto causou grande polêmica na cidade. No mês de julho, a Cetesb - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo interditou o antigo local de depósito de resíduos, localizado em área no interior do Aterro Sanitário, devido à contaminação do solo. A empresa deu um prazo de 30 dias para a Prefeitura mudar o destino dos materiais, sob pena de receber multa diária no valor de R$ 1.000.

Em caráter emergencial e provisório, a prefeitura chegou a transferir, no mês de julho, o depósito para uma nova área, no antigo Centro de Lazer do Trabalhador, próximo ao Conjunto Habitacional Pedro Nogueira, com cerca de 100 mil m² e que poderia ser usada por até seis meses. O secretário de Obras, Serviços Públicos e Habitação, explicou que a área que havia sido destinada para fazer a separação dos resíduos da construção civil não passou pelo gerenciamento correto e o material era despejado pelos caçambeiros e carroceiros de forma aleatória, criando um verdadeiro “maciço” de entulhos, restos de cimento, tinta e outros materiais oriundos de construções e demolições. “Foi constatado que o solo na parte de cima do Aterro Sanitário, está contaminado naquele local pela presença de metais. Nesse sentido, a CETESB emitiu uma autuação e deu prazo de 30 dias para que resolver a situação. Imediatamente, lacramos a área e efetuamos a instalação de uma outra área com os procedimentos ambientalmente adequados”.

Mas ao que tudo indica, a área no antigo Centro de Lazer do Trabalhador, também não era adequada. A direção do vento provocava acúmulo de poeira e o transtorno incomodava e prejudicava a população do bairro Pedro Nogueira. “Nesse meio tempo, a Cetesb nos autorizou a utilizar uma área remanescente no Aterro Sanitário, de aproximadamente 15 mil metros quadrados, na parte de baixo do local, então decidimos transferir novamente o depósito de material recolhido pelas empresas que prestam o serviço de caçambas para esta nova área, adequada para receber os resíduos e resolvermos, de forma definitiva, o empasse”, afirmou Niltinho.

Para custear o serviço, a Prefeitura vai gastar cerca de R$ 60 mil por mês. Parte desse valor será rateado entre as empresas que fazem serviço de aluguel de caçambas.

A nova área servirá para transbordo, triagem e transferência do material.

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados
Feliz Natal