Em live da OAB, prefeito eleito debate recuperação da imagem da cidade

151220112512.jpg
Organizada pela OAB Jales, a live foi promovida em formato de entrevista coletiva e contou com a participação do repórter Alexandre Ribeiro

O prefeito eleito de Jales, Luis Henrique Moreira, pretende promover eventos promocionais para “vender” as potencialidades econômicas de Jales a empresários estabelecidos em centros financeiros e produtivos do Estado e fora dele. A informação foi revelada durante uma entrevista transmitida ao vivo pela internet, da 63ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Jales, na última quarta-feira, 9 de dezembro. 

Luis Henrique disse que pretende se reunir com dirigentes da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) logo no primeiro semestre e convidá-los para conhecer a cidade.

“Infelizmente, Jales tem sido manchada por notícias negativas e a gente precisa mostrar para os empresários de fora que Jales tem muitas coisas positivas. Eu pretendo ir a São Paulo o quanto antes para procurar alguns amigos na Fiesp e organizar um seminário para mostrar a empresários de fora as riquezas do nosso município, aquilo que Jales tem de melhor. Tem, por exemplo, grandes centros de distribuição e grandes empresas que estão procurando um novo lugar [para se estabelecer] fora da região metropolitana”, disse.

“Imagine que consigamos trazer dez empresários para esse seminário e desses, um resolva investir na cidade. É uma empresa que vai gerar empregos, renda e divisas para o nosso município”, completou. 

Não foi a única proposta de recuperação da imagem da cidade surgida durante a entrevista organizada pela OAB. A própria afirmação do prefeito eleito foi feita depois que o diretor da rádio Nativa FM, Fábio Silvério, propôs a realização de um encontro com empresários locais para discutir os seus projetos e entraves para o desenvolvimento das suas empresas. 

De acordo com a sugestão, os encontros empresariais poderiam contar com as participações do município, da FATEC, ETEC, Unijales, entidades de classe, como a OAB e ACIJ, e serviriam para debater as sugestões dos empresários e as suas possibilidades de viabilização. “Muitas vezes, ele não tem oportunidade de ser ouvido, mas tem idéias significativas que poderiam compartilhar e isso seria um diferencial importante”. 

De pronto, Luís Henrique aceitou a proposta e garantiu que ela será colocada em prática. Inclusive pediu auxilio do radialista para organizar os eventos.

“É primordial e muito importante a valorização dos empresários e ouvir as suas reivindicações e propostas e já peço a sua colaboração para nos ajudar a organizar isso. Parabenizo você pela sugestão”, disse.

Momentos depois, o representante deste semanário alertou para a necessidade de se implantar com urgência ações de marketing para “vender” as potencialidades do município nos veículos de comunicação com penetração regional para recuperar a imagem do município em contraste ao noticiário negativo predominante na administração atual.

“A gente não pode esquecer que a cidade precisa de ações de marketing, que é uma ferramenta fundamental para a gente vender o município lá fora. Quem assiste o noticiário nas regiões de Rio Preto, Araçatuba, Prudente e outras, só ouve de Jales notícias sobre corrupção, alagamento, obras paradas, etc. Precisamos promover ações para compensar isso. Para divulgar que Jales tem Fatec, ETEC, que oferecem ensino gratuito e de qualidade, que temos curso de direito, uma gama gigantesca de serviços na área da saúde e outras potencialidades. E precisamos fazer isso com urgência”.  

Luís Henrique lembrou que também temos um grande potencial na área de turismo rural. “Penso que é a hora de termos uma união de forças. Precisamos ser otimistas. Jales tem sim muitas qualidades, é uma cidade extremamente receptiva, temos o turismo rural que está começando a se destacar, e, embora a agricultura represente 35% do nosso PIB, hoje a nossa vocação é a Saúde. Temos a Santa Casa que é referência, temos o AME, o Hospital de Amor, o Consirj e se juntarmos o atendimento dessas instituições, Jales atende mais de 2.200 pessoas por dia. Jales tem bons médicos, boas clínicas e pode dizer hoje que recebe gente de outros estados. O que precisamos é passar essas informações positivas e concordo em parte que a gente precisa fazer o marketing positivo de Jales, mas isso não é só por parte do município. Todos nós precisamos resgatar esse orgulho de bater no peito e falar que moramos em Jales, uma cidade que tem muitas qualidades. Esse é o nosso maior desafio”. 

SECRETARIADO

O prefeito eleito confirmou que já definiu os nomes dos ocupantes de alguns cargos do primeiro escalão. Adriana Campos será a secretária de Educação, José Ângelo Caparroz Vieira será o chefe de gabinete e Wilter Guerzoni havia aceitado o convite naquela tarde para ser o secretário de Esportes, Cultura e Turismo. 

O jornal A Tribuna apurou que o prefeito havia convidado um médico para ser secretário de Saúde e aguardava a resposta. Segundo o prefeito, o possível secretário pediu um prazo para conversar com a família, mas estava bastante propenso a aceitar.   

Luís disse que pode fazer modificações na estrutura governamental e hierárquica do município, como desmembramento de algumas pastas das múltiplas secretarias. Esse seria o caso da Cultura, que deverá ser ocupada por alguém ligado ao setor (e não mais do esporte) e poderá ser transferida para a Secretaria de Educação.

A procuradoria jurídica também pode sofrer alterações, mas não por iniciativa da administração. Um imbróglio jurídico pode resultar em restrições para a escolha do procurador geral a partir do ano que vem. É que o Ministério Público Estadual e o Tribunal de Justiça (TJ-SP) consideram que o procurador geral deve pertencer ao quadro de procuradores efetivos e não mais de fora do quadro do funcionalismo e deu prazo até 30 de abril para que a mudança ocorra. Atualmente, o procurador geral é o juiz aposentado Pedro Manoel Callado, e existem outros seis cargos de procurador, incluindo o de sub-procurador, que precisa ser ocupado por servidor efetivo. 

O município recorreu ao Supremo Tribunal Federal e aguarda decisão final, que pode manter a situação como está ou obrigar o prefeito a escolher um procurador geral entre os efetivos.         

Marynilda quer 

formar novas 

lideranças positivas

Respondendo a uma pergunta do repórter Vitor Inácio, que representava as rádios Regional e Assunção FM, a vice-prefeita eleita, Marynilda Cavenaghi Nacca repetiu o que havia dito ao jornal A Tribuna semanas atrás. Um de seus principais projetos será formar novas lideranças femininas para aumentar a representatividade política das mulheres e ajudá-las a ocupar os cargos atualmente dominados por homens. 

“É muito difícil para você conseguir que uma mulher seja candidata e para ela chegar a esses cargos não é fácil. Eu posso dar o meu testemunho das dificuldades que eu passei pra chegar onde eu cheguei, desde quando eu ocupava um cargo mais alto como funcionária pública, quando fui candidata a vereadora até chegar hoje a vice-prefeita. Foi uma trajetória muito difícil, não foi fácil. E nós encontramos essas dificuldades apenas porque somos mulheres. Quero deixar bem claro: é por ser mulher, não é por outra coisa”, disse.

“Esse vai ser um dos meus projetos nesses quatro anos: preparar mulheres para concorrerem em pé de igualdade. A mulher tem um papel muito importante na sociedade e ela dá um peso muito interessante na administração. A lei determina que haja um percentual de mulheres concorrendo, se não tiver esse percentual, também não terá homens. Então, eles dependem da mulher para serem candidatos a vereador. Hoje conseguimos eleger duas mulheres na câmara e uma vice-prefeita e eu gostaria que tivesse metade-metade para homens e mulheres. Certamente algumas coisas que aconteceram na câmara nos últimos tempos não teriam acontecido, se tivesse essa porcentagem de 50% de mulheres”, completou.  

A live foi realizada em formato de entrevista coletiva e transmitida ao vivo na página da OAB Jales no Facebook. Durante cerca de duas horas e meia, repórteres das rádios da Diocese de Jales, da rádio Nativa, dos jornais A Tribuna e Jornal de Jales fizeram perguntas e colocações sobre diversos assuntos. 

O evento foi organizado pela diretoria da entidade e também contou com as participações do presidente Marlon Garcia Livramento; do vice, Guilherme Soncini da Costa; do secretário, Ricardo Hentz, e a colaboração dos demais integrantes da diretoria, Lilian Bazzo e Alexandre Colombo, que não puderam participar.    

 

Deixe um comentário