Elektro diz que iniciativa de encerrar manutenção da iluminação pública foi da prefeitura

311017145742.jpg
Na Avenida Guilherme Soncini da Costa, próximo ao recinto da Facip, trechos estão totalmente às escuras há mais de dez dias

A Elektro, multinacional responsável pelo fornecimento de energia elétrica em 223 municípios paulistas, inclusive em Jales, onde também responde pela manutenção da iluminação pública, enviou Nota Oficial para contestar as informações concedidas pelo secretário municipal de Planejamento, Nilton Suetugo, publicadas na última edição deste semanário (22 de outubro).

Segundo a reportagem intitulada “Elektro não fará mais manutenção de pontos escuros em Jales”, a companhia vai deixar definitivamente o serviço de manutenção da iluminação pública e será novamente substituída por uma empresa privada. Os custos com a contratação serão pagos pela prefeitura, através da Contribuição de Iluminação Pública (CIP) cobrada mensalmente dos moradores.

A reportagem se baseou em declarações do secretário, segundo as quais, a Elektro manifestou a intenção de encerrar o serviço. “Houve uma manifestação de romper esse serviço uma vez que ela não tem interesse. Ela praticamente desmontou toda a sua equipe de manutenção e não tem interesse em continuar executando o serviço”, disse o secretário.

Entretanto, por meio de sua Assessoria de Imprensa, a Elektro joga para a prefeitura a iniciativa de romper o serviço. “O Município de Jales manifestou interesse em assumir a manutenção da iluminação e, desde então, Elektro e Prefeitura têm negociado os próximos passos para que seja feita a transição”, informou. “Até lá, a Elektro ainda é responsável pela manutenção da iluminação pública na cidade (...) que vem sendo realizada regularmente pela concessionária”, completou.

Apesar da negativa da multinacional, Ninton Suetugo acredita que em três meses a prefeitura tenha finalizado uma concorrência pública para contratação da empresa que assumirá o serviço de manutenção da iluminação pública, reparo dos pontos escuros e iluminação ornamental. Ainda segundo o secretário, a empresa deve começar a atuar no início do ano que vem.

Procurado, o secretário retificou a declaração, dizendo que a iniciativa foi mesmo da prefeitura, mas por conta da má qualidade do serviço prestado. “Há um nível grande de reclamação da população por isso a gente acha que o caminho é direcionar para uma empresa privada”.   

ÀS ESCURAS

Os sinais de que a companhia pode esta preparando a sua saída do serviço de manutenção da iluminação pública são visíveis em várias partes da cidade. Na avenida Guilherme Soncini da Costa, por exemplo, o trecho onde estão localizados prédios públicos importantes entre eles uma escola municipal e a recém-inaugurada Unidade Básica de Saúde ESF – Ozil Joaquim Rezende, no entroncamento com a avenida Roque Viola, no Jardim Eldorado, está totalmente às escuras há mais de dez dias, sem que a companhia faça absolutamente nada. O risco de furtos de bens públicos e violência contra transeuntes que circulam pelas duas importantes avenidas é ignorado pela companhia multinacional que garante que “a manutenção da iluminação pública no município de Jales vem sendo realizada regularmente”.

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados