Edição nº 1482

120917100855.jpg
.

EXPLICANDO

A Elektro distribuiu nota à imprensa, na terça-feira, 05, onde dizia que já tinha dado explicações ao Ministério Público Federal sobre os motivos que estavam impedindo a concessionária de fazer a ligação de energia da ESF “Luiz Ernesto Sandi Mori”, no JACB. Na mesma nota, a Elektro garantiu que a ligação estava programada para aquela terça-feira, mas dependia de providências da Prefeitura para regularizar o padrão de entrada do prédio.

 

SERVIÇO EXECUTADO

Tudo indica que a Prefeitura fez a lição de casa, pois no dia seguinte o chefe de gabinete da Secretaria de Obras, Manoel De Aro, confirmou que a Elektro tinha executado o serviço. É lamentável, no entanto, que o caso só tenha sido solucionado depois de matérias na imprensa – inclusive de Rio Preto – e da ação do Ministério Público Federal.

 

OITO MESES DEPOIS

Por outro lado, também na terça-feira, a ESF “Zilda Arns” começou, finalmente, a funcionar no novo prédio, no Novo Mundo. Não custa lembrar que a construção dos novos prédios foi concluída em dezembro do ano passado e só agora, transcorridos oito meses, eles estão sendo colocados à disposição da população.

 

MAIS DE 1.000

Esse não é, porém, um problema só de Jales. Em maio, o portal UOL publicou reportagem dando conta de que o Brasil tinha 1.158 unidades de saúde fechadas, incluindo 165 UPAs. Juntas, as 1.158 unidades custaram R$ 1 bilhão, segundo a matéria assinada pela jornalista Fabiana Cambricoli. No caso de Jales, as três unidades custaram quase R$ 2 milhões.

 

TENTANDO EXPLICAR

No Mato Grosso, o deputado federal Ezequiel Fonseca (PP), ex-morador de Jales, também distribuiu nota à imprensa para tentar explicar as imagens veiculadas no Jornal Nacional e outros noticiosos, nas quais ele, aparentemente, está recebendo uma caixa abarrotada de dinheiro, entregue por um assessor do então governador Silval Barbosa.

 

IMAGENS DETURPADAS

Na nota, ele garante que continua sendo um homem probo, simples, trabalhador, etc, e que nunca solicitou qualquer quantia ilícita a quem quer que seja. Ezequiel disse, também, que não iria se manifestar a respeito das imagens, uma vez que, segundo ele, o vídeo exibido na TV foi editado e contém imagens deturpadas. Tá bom...

 

CONTAS REJEITADAS

E o Tribunal de Contas do Estado (TCE) decidiu emitir parecer desfavorável à aprovação das contas anuais da Prefeitura de Jales, relativas ao exercício de 2015. Naquele ano, Jales teve três prefeitos: Nice Mistilides (PTB), Pedro Callado (PSDB) e Nivaldo Batista de Oliveira (PSD), o Tiquinho. Este último substituiu Callado por 15 dias e, por conta disso, entrou na alça de mira do TCE.

 

FALHAS

O TCE não divulgou, por enquanto, as falhas apontadas nas contas de 2015, que levaram os conselheiros a emitir parecer contrário à aprovação delas. É possível saber, porém, que eles não gostaram dos pregões realizados pela Prefeitura para contratação de médicos. O reajuste salarial dos agentes políticos (prefeito, vereadores e secretários) e o indigitado 14° salário pago aos servidores também não agradaram aos eminentes conselheiros.

 

DÉFICIT

O próprio Callado, em conversa com este colunista, disse que um dos motivos para a reprovação das suas contas foi o déficit orçamentário verificado ao final daquele ano, algo que poderá se repetir com o prefeito Flá, caso a Prefeitura não aumente a arrecadação. Por isso mesmo, Flá já está tratando de promover uma atualização da planta genérica que vai reajustar os valores venais dos imóveis e, por conseguinte, aumentar o valor do IPTU.

 

2016 TAMBÉM

Aparentemente, não são apenas as contas de 2015 que estão causando dores de cabeça ao ex-prefeito Pedro Callado. Na quinta-feira, 06, o TCE notificou o ex-prefeito, via Diário Oficial, a tomar conhecimento do relatório referente às contas de 2016. E já avisou Callado para apresentar, em 15 dias, suas justificativas para as falhas apontadas. Uma das coisas que pode complicar o ex-prefeito é o parcelamento de dívidas com o Instituto Municipal de Previdência.

 

CONTRATO PRORROGADO

Nossa Prefeitura prorrogou, por mais um ano, o contrato com a empresa Della Fattoria Alimentare, responsável pelo fornecimento de merenda escolar aos alunos do município. O novo aditamento estima em R$ 5,3 milhões os gastos com a alimentação nos próximos 12 meses, valor que significa um reajuste de 4,45% nos preços da merenda.

 

DEZ CONCORRENTES

Nada menos que 10 empresas apresentaram proposta na licitação aberta pela Prefeitura de Jales para construção de uma quadra poliesportiva no Jardim São Lucas. A vencedora foi a Rezek Construções, de Araçatuba, que está prometendo construir a quadra por R$ 192,4 mil. Para que os prezados leitores tenham uma ideia, a proposta da décima colocada foi de R$ 252,9 mil. Resta agora ficar de olho para ver se a Rezek conseguirá executar a obra pelo preço combinado.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados