Diretor da Globo, Marcelo Bechara, defende remuneração do jornalismo

230622123830.jpg
Imagem: Reprodução Youtube NICbrvideos >>>>>>> https://www.youtube.com/watch?v=5CD6TPfIIYs

No dia 2 de junho de 2022 foi realizado na cidade de Natal-RN o 12º Forum da Internet no Brasil, patrocinado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil e o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto Br. Dentre várias discussões destacou-se a discussão da “Regulação das plataformas e compensações à atividade jornalística”, transmitido pelo canal do evento no You Tube.

 

Participaram como palestrantes o Diretor da Globo, Marcelo Bechara, o Diretor do Google, Marcelo Lacerda, o representante do CGI.br, Marcos Dantas, a jornalista e integrante do Intervozes, Marina Pita, a consultora do United Capital Group, Niousha Roshani, o Deputado Federal, Orlando Silva e Rafael Evangelista do CGI.br como coordenador dos debates.

 

PL das Fake News

Orlando Silva iniciou sua participação falando de proposta de sua relatoria, o PL das Fake News que tramita na Câmara dos Deputados e aborda a remuneração pelas gigantes de tecnologias dos conteúdos jornalísticos que utilizam.

 

O Diretor do Google, Marcelo Lacerda, apresentou uma série de iniciativas e parcerias no Brasil com 100 empresa de todos os portes pagando pelos conteúdos da Google Destaques e a aba de notícias da ferramenta de busca. Ele argumentou que a empresa não é responsável pela perda de receitas, mas o fim do caderno de classificados dos jornais.

 

Marcos Dantas, por sua vez abordou o poder econômico das big techs. Marina Pita manifestou contrariedade com a proposta do projeto de Orlando Silva, apontando receios de sua eficácia, bem como aspectos relativos à publicidade.

 

Marcelo Bechara : “uma negociação direta entre empresas com arbitragem ao final”

O Diretor da Globo, Marcelo Bechara explicou que a remuneração já é realidade em países da Europa como a França e Espanha que são focados nos direitos autorais. Bechara ressaltou, contudo, que os modelos australianos e canadense são mais adequados pois permitem uma negociação direta entre empresas com arbitragem ao final.

 

A última palestrante, Niousha Roshani, apontou os desafios para se conseguir implementar a medida.

 

Nos debates ficou Marina Pita mencionou um modelo de fomento ao jornalismo e receio de que a padrão australiano beneficie empresas grandes como a Globo. Marcelo Bechara defendeu que a remuneração alcance até jornalistas individuais que sejam profissionais e residam no país. Por fim, Bechara ressaltou que o país pode liderar esse debate no mundo assim como fez com o Marco Civil da Internet.

Deixe um comentário