Deputado inaugura Centro de Conciliação e Mediação em Jales

190819152832.jpg
Deputado Luiz Flávio Gomes e Andrea Gouvea com a equipe de mediadores do Centro de Conciliação

 

O jurista e deputado federal Luiz Flávio Gomes (PSB) esteve em Jales na sexta-feira, 09, onde participou como palestrante de um simpósio sobre Advocacia e Cidadania, promovido pela OAB local. À noite, ele participou, também, da inauguração da unidade do Centro de Conciliação e Mediação, da empresária Andrea Gouvea Sakashita, uma parceria com o Instituto de Mediação LFG, que possui várias unidades no país. O Centro de Conciliação LFG funcionará no mesmo prédio onde são ministrados os cursos da área de Direito, na Avenida Francisco Jalles, nas proximidades do Hospital de Amor.

Segundo o deputado, o Centro de Conciliação e Mediação possui as mesmas características e funções dos Centros Judiciários de Solução de Conflitos (Cejusc) implantados pelo Tribunal de Justiça. “A diferença é que o Centro de Conciliação é privado e o acordo é documentado entre as partes, enquanto o Cejusc é público e demanda a homologação do acordo por um juiz. Os objetivos, no entanto, são os mesmos, ou seja, prestar auxílio a qualquer cidadão na tentativa de solução de um problema, sem a necessidade de uma decisão judicial”, explicou Luiz Flávio Gomes.

Ele explicou, ainda, que a mediação é regulamentada por lei e que a ideia de instalar Centros de Conciliação como o de Jales - que já conta com uma equipe de conciliadores devidamente treinada – nasceu da dificuldade para se fazer acordos na Justiça. “A nossa Justiça está assoberbada com tantos conflitos que poderiam ser resolvidos sem a intervenção do Judiciário e esse grande congestionamento de processos judiciais leva à morosidade na busca de soluções de litígios. Os Centros de Conciliação LFG surgiram com o objetivo de ajudar os cidadãos e também de auxiliar o Judiciário, propiciando que determinados conflitos possam ser solucionados sem necessidade de se apelar à Justiça”, concluiu o deputado.

   De sua parte, Andrea Gouvea, que ficará responsável pelo Centro de Conciliação e Mediação de Jales, explicou que “levar um conflito para a mediação privada, ao invés da mediação judicial, oferece uma série de vantagens, pois o processo ocorre de acordo com a agenda dos participantes e a resolução do conflito pode ser concluída muito mais rapidamente”. Segundo ela, o Centro de Conciliação pode ser utilizado para solucionar problemas entre pessoas ou empresas. “Os conciliadores ou mediadores são pessoas treinadas e capacitadas para ajudar os envolvidos na demanda a encontrarem uma solução juntos, dentro da lei”, arrematou Andrea.

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados