Cidades da região possuem o dobro de cães que o recomendado

071215171125.jpg
Cães são abandonados à própria sorte e muitas vezes acabam morrendo

A proporção de cães e gatos em relação à população humana nas quatro maiores cidades da Região Noroeste paulista está bem acima do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como forma de evitar as zoonoses e os ataques. Enquanto a organização orienta que o máximo de cães seja um para cada 10 habitantes, em algumas cidades, essa proporção é mais que o dobro. A densidade populacional de animais domésticos em relação à de humanos piora se somados os gatos.

Além de aumentar o risco de disseminação de zoonoses e ataques a humanos, a superpopulação de cães e gatos gera outro problema grave: o abandono e os maus tratos.

Estima-se que existam mais de 400 cães e gatos sendo cuidados por voluntários em Jales. Algunas lares transitórios chegam a ter cerca de 20 animais.  

Em Jales, por exemplo, 9.267 cães para 48.922 habitantes. Um para cada 5,27 humanos. Quase o dobro do orientado. Somados aos 9.267 gatos, o número de PETs totaliza 11.580 ou um para cada 4,22 humanos. 

A vizinha Fernandópolis tem 68.120 habitantes que convivem com 11.599 cães. A proporção é de um para cada 5,87 humanos. Somados aos 1.853 gatos, o total de PETs na cidade chega a 13.452 ou um para cada 5,0 pessoas.

Entre as quatro vizinhas, Santa Fé do Sul possui a maior população de PETs. São 31.348 habitantes e 7.300 cães ou um para cada 4,2 humanos. Somados aos 1.311 gatos, o total de PETs entre os santafessulenses chega a 8.611 ou um animal doméstico para cada 3,64 humanos. É quase três vezes mais que o recomendado pela organização.

Por outro lado, Votuporanga é a que se encontra em situação melhor em relação à população canina. Segundo o IBGE são 91.278 habitantes e 9.691 cães, ou um para cada 9,41 humanos. Quase o índice recomendado pela OMS.

Em compensação, a cidade tem quase quatro vezes mais gatos do que a média das cidades vizinhas. São 4.483 felinos, que somados aos caninos, alcança 14.174 ou proporcionalmente, um animal doméstico para cada 6,43 humanos. Ainda assim, índice mais confortável que as outras. 

Entre as maiores cidades da região, apenas São José do Rio Preto mantém a população de cães dentro dos índices recomendados pela OSM. A cidade é considerada a capital informal da região e tem 39.813 cães e 4.503 gatos para uma população humana de 442.548. Existe um cão para cada 11,11 humanos. Somada, a população de cães e gatos chega a 44.313 animais ou um para cada 9,98 humanos.  

RECOMENDAÇÃO

A OMS recomenda, a fim de limitar o risco de doenças e de ataques, que houvesse um cão para até dez pessoas. No estado de São Paulo há cerca 1,3 milhão de cães, um para cada oito habitantes. Os Estados do Centro-Oeste têm média de dois cães para cada dez pessoas. Os números do Sul são os únicos adequados à recomendação da OMS.

Deixe um comentário