CEI das Casinhas é prorrogada por mais 47 dias

021120111040.jpg
Composta por Macetão, Pintinho e Kazuto, a Cei das Casinhas foi prorrogada até a última Sessão Ordinária do ano

A investigação aberta na Câmara de Jales sobre as denúncias de irregularidades na construção do Conjunto Habitacional Honório Amadeu foi prorrogada por mais 47 dias, ou seja, até a última sessão ordinária do ano, em 14 de dezembro. 
A prorrogação foi aprovada por unanimidade na sessão da última segunda, 26 de outubro, através do requerimento 161/2020, de autoria de Luiz Henrique Viotto, presidente da Comissão Especial de Inquérito.
“Considerando que o prazo inicial para realização dos trabalhos se exaure no próximo dia 28 de outubro de 2020 e que ainda não se findaram os trabalhos de investigação, requer a prorrogação, por mais 47 dias, a partir de 29 de outubro de 2020, dos trabalhos da Comissão Especial de Inquérito criada pelo Requerimento nº 94/2020”, solicitou o requerimento aprovado no dia 26. 


DENÚNCIAS
A CEI das Casinhas foi aberta para apurar eventuais irregularidades na aquisição e preparação do terreno para a construção do conjunto habitacional, fornecimento de materiais de qualidade duvidosa, no pagamento e no recebimento pela empresa responsável pela construção e outras possíveis irregularidades na assinatura do contrato, no período compreendido de 2012 a 2019. 
Atualmente, a pedido da Procuradoria Jurídica da Câmara, nenhuma informação sobre as investigações, oitivas ou interrogatórios tem sido divulgada. 
Mas na única audiência divulgada, os proprietários da Tecnicon Construções, empreiteira responsável pela construção que está sendo questionada, informaram que foram pressionados pelo prefeito Flávio Prandi Franco a fazer uma parceria com um empresário para comprar material de sua empresa de construção em troca da facilitação dos pagamentos pela construção das casas. 
O caso foi revelado em uma série de reportagens feitas pelo jornal A Tribuna a partir do dia 26 de julho. As informações publicadas pelo jornal foram confirmadas pela Polícia Federal através da realização da Operação Zaram, há duas semanas.
Na operação, a PF prendeu temporariamente, por cinco dias, seis pessoas envolvidas no caso. Duas delas tiveram as prisões prorrogadas por mais cinco dias e tinha a soltura prevista para este fim de semana.   

 

Deixe um comentário