Cartório de Jales registra queda de 24% nos casamentos em 2017. Nascimentos e falecimentos também caíram

160118152957.jpg
.

 

Se os profissionais que trabalham com casamentos já estavam reclamando de uma redução no número de cerimônias religiosas em 2016, eles tiveram mais motivos para reclamar, a se julgar pelos números relativos ao ano de 2017. Segundo dados fornecidos pelo Cartório do Registro Civil de Jales, a quantidade de casamentos de “papel passado” caiu significativamente no ano passado, na comparação com 2016. Naquele ano, pelo menos 378 casais foram ao Cartório para oficializar a união conjugal, enquanto no ano passado apenas 289 casais procuraram aquele órgão para o casamento civil, o que significa uma queda de quase 24% no número de casamentos. Nos últimos anos, o maior número de casamentos foi registrado em 2013, quando 399 casais oficializaram a união conjugal.

O Cartório de Jales registrou, ainda, apenas uma união homoafetiva em 2017. Já o número de casais que se separaram durante o ano passado não foi informado, uma vez que as separações são registradas nos dois cartórios de Notas – o 1° (do Adauto) e o 2° (do Garça) – de Jales. Em 2016, foram registrados 28 divórcios em Jales, além de 122 outras separações (quando o casal deixa de viver junto, sem recorrer ao Judiciário), segundo dados coletados pelo IBGE. O maior número de divórcios formalizados nos últimos cinco anos, segundo informações fornecidas pelos dois cartórios, ocorreu em 2015, quando foram contabilizados 46 divórcios em Jales.

Nascimentos

O número de certidões de nascimento emitidas em 2017 pelo Cartório do Registro Civil de Jales, também registrou queda em relação a 2016, segundo os dados obtidos pelo jornal A Tribuna. Em 2016, o Cartório emitiu 598 certidões de nascimento, número que caiu para 530 em 2017, uma queda superior a 11%. Desses 530 bebês registrados no Cartório, pelo menos 261 são do sexo masculino, enquanto os demais 269 são do sexo feminino. Assim como já ocorrera em 2016, os nomes mais registrados foram Miguel e Alice. Entre os homens, os outros nomes mais registrados foram Artur, David, Heitor e Enzo. Já entre as mulheres, além de Alice, os preferidos foram Valentina, Helena, Laura e Sofia.

Nos últimos sete anos, o maior número de nascimentos ocorreu em 2015, quando o Cartório de Jales registrou 610 certidões de nascimento. A quantidade de certidões emitidas pelo Cartório é sempre menor que o número de nascimentos registrados na Santa Casa de Jales. Em 2016, por exemplo, a Santa Casa contabilizou o nascimento de 994 bebês, quase 400 a mais que as 598 certidões emitidas pelo Cartório do Registro Civil. Segundo a escrevente substituta, Rosimeire Ensides Tomazeli, essa diferença ocorre porque “quando uma criança nasce na Santa Casa de Jales, os pais tem a opção de registrar aqui no nosso Cartório ou no Cartório da cidade onde eles moram”.

Falecimentos

Se as certidões de nascimento de 2017 diminuíram mais de 11% em relação ao ano anterior, a queda no número de certidões de óbito emitidas pelo Cartório de Jales não ficou atrás. De acordo com os dados obtidos pelo jornal, foram emitidas 659 certidões de óbito em 2017, número que representa uma redução de quase 12%, na comparação com 2016, quando foram emitidas 745 certidões de óbito pelo Cartório de Jales. Os números mostram, ainda, que as mulheres jalesenses – apesar de maioria entre a população - estão morrendo menos que os homens. Das 659 certidões de óbito emitidas em 2017, pelo menos 355 registraram o falecimento de pessoas do sexo masculino, enquanto as outras 304 foram para pessoas do sexo feminino.

O número de certidões de óbito (659) emitidas em Jales no ano passado foi bem maior que a quantidade de certidões de nascimento (530), mas isso não significa, no entanto, que a população jalesense esteja diminuindo. “Diferentemente do que ocorre nos nascimentos, quando os pais podem optar por registrar os filhos em suas cidades de origem, nos falecimentos ocorridos em Jales a certidão de óbito é obrigatoriamente registrada em nosso Cartório, não importando se a pessoa é daqui ou de outra cidade. Assim, se a pessoa é de outra cidade e, por infelicidade, falece em nossa Santa Casa ou no Hospital de Câncer, a certidão é emitida pelo Cartório de Jales”, explicou Rosimeire Tomazeli.

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados