Campanha Junho Vermelho destaca a importância da doação de sangue

110619100139.jpg
A dolcinopolense Idalima Minguini Serrano, de 76 anos, paciente e doadora de sangue do Hospital do Amor de Jales

Para dona Idalima Minguini Serrano, de 76 anos, falar de doação de sangue é falar de esperança. Ela faz parte dos dados estatísticos de milhares de pessoas que têm a oportunidade de terem suas vidas prolongadas, por meio da transfusão de sangue. Segundo a Fundação Pró-Sangue (FPS) - instituição pública ligada a Secretaria de Estado da Saúde e ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, apenas 1,9% da população brasileira é doadora de sangue.

Paciente do Hospital de Amor Jales, dona Idalima, que mora em Dolcinópolis (SP), conta as situações em que precisou de sangue em sua vida. “Foram duas vezes, a primeira, ainda quando era jovem, tive uma hemorragia interna durante uma gestação, o que ocasionou a perda do bebê que estava esperando. Na segunda vez, precisei de sangue durante o tratamento de câncer, por causa de uma anemia profunda antes da cirurgia”, contou a paciente.

Casos como este, de dona Idalima, lembra-nos da importância da doação de sangue, ação em evidência neste mês com a campanha ‘Junho Vermelho’, que iniciou no último sábado, dia 1º, e que tem por objetivo conscientizar a população sobre este ato simples que pode salvar vidas.

Para Edinéia Monteiro da Rocha Queiroz, de Votuporanga (SP), doar sangue é mais do que um ato de solidariedade, é um ato humanitário, de amor ao próximo. “Eu comecei a doar sangue há aproximadamente três anos. Eu entendi a importância dessa ação, assim como doar medula óssea também é importante, e hoje, não deixo de fazer a minha parte”, afirmou a acompanhante de paciente.

Na unidade de Jales, por exemplo, “as bolsas de sangue são utilizadas em procedimentos intra e pós-operatório, após sessões de quimioterapia ou quando o paciente possui algum sangramento.  Sabendo da necessidade da bolsa, o hospital faz a solicitação para o banco de sangue, que fornece o mesmo para a instituição”, esclareceu a enfermeira técnica da unidade, Talita Amaral.

Doação

Doar é um processo fácil, rápido e seguro. O doador, seja ele homem ou mulher, deve ter entre 18 e 69 anos, e pesar acima de 50kg. Jovens com idade entre 16 e 17 também podem doar, desde que estejam acompanhados dos pais ou responsáveis que os autorizem. Não é necessário estar em jejum, mas as pessoas devem evitar comidas pesadas e gordurosas um dia antes e estar em um bom estado de saúde.

É importante também apresentar um documento original com foto recente (que permita a identificação do candidato), emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social ou Carteira de Habilitação).

Restrições

Quem estiver tomando medicamentos, como antibióticos e anti-inflamatórios, devem esperar 15 dias para fazer a doação. Quem tiver tatuagens ou piercings só poderão doar o sangue após seis meses, desde que o local onde fizeram o procedimento seja reconhecido pela Vigilância Sanitária.

Ingestão de bebidas alcoólicas nas 12 horas que antecedem, também impede a doação. Febre amarela recente, vacina para febre amarela e viagens para países com risco de doenças transmissíveis possuem a mesma regra.

Pessoas que já tiveram Hepatite após os 11 anos de idade, evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II, doença de Chagas, uso de drogas ilícitas injetáveis e/ou malária são impedimentos definitivos para doação.

Como funciona

A pessoa que for doar vai passar por uma triagem. Todo o processo até o final demora cerca de 40 minutos. Cada bolsa de sangue doada pode ajudar até três pessoas, pois os centros especializados conseguem separar os componentes do sangue e usá-los em mais de uma pessoa.

Após a doação, os homens só poderão doar de novo depois de 60 dias, até quatro vezes no ano. As mulheres, quando completar 90 dias, podendo chegar a três doações no ano.

Os hemonúcleos de Fernandópolis e de Araçatuba são os mais próximos da nossa cidade para realizar a doação. Os horários de atendimento de segunda, terça, quinta e sexta-feira são das 8 às 17h; de quarta-feira das 8 às 19h; e aos sábados das 8 às 12h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (17) 3442-5544.

A campanha

Lançada no estado de São Paulo, a campanha ‘Junho Vermelho’ ganhou status de lei estadual em 15 de março de 2017 (nº 16.386) e passou a ser promovida nacionalmente. Em todo o país a cor vermelha, durante o mês, vai iluminar as instituições públicas e privadas, prédios históricos e monumentos em diferentes localidades. Também serão feitas ações especiais durante a semana do Dia Mundial do Doador de Sangue, que é comemorado no próximo dia 14 de junho.

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados