Câmara aprova Moção de Repúdio contra Elektro

120917102140.jpg
Câmara de Jales repudia atuação da Elektro na iluminação pública da cidade

Os vereadores de Jales aprovaram, por unanimidade, uma Moção de Repúdio contra a Elektro Redes S.A., companhia concessionária responsável pela iluminação pública na cidade. O motivo é “o descaso com que trata a iluminação pública em Jales, nos casos de lâmpadas queimadas e não atendimento na instalação de novos bicos de luz em pontos escuros do perímetro urbano”.

A proposta é de autoria de Deley Vieira dos Santos, mas foi subscrita pelos vereadores Tiago Abra, Nivaldo Batista de Oliveira (Tiquinhho), Claudecir José dos Santos (Tupete), Adalberto Francisco de Oliveira Filho (Chico do cartório) e Bismark Kuwakino.

“Somente no ano de 2017, esta Câmara Municipal já encaminhou três requerimentos à Elektro, pedindo informações sobre problemas na iluminação pública em diferentes situações. Ao Poder Executivo de Jales, neste ano, já fizeram 30 indicações sobre problemas na iluminação pública a serem resolvidos. A maior parte desses problemas só chegam ao conhecimento dos vereadores depois que os próprios moradores já tentaram uma solução junto à Elektro, sem obterem algum resultado”, afirma o protesto. Em nota, a Elektro nega que tenha sido notificada.

“Lamentavelmente os problemas com a iluminação pública em Jales tem se agravado gradativamente, pois, sobre as antigas reclamações não são tomadas providências e novas situações ocorrem praticamente todos os dias. Diante deste quadro, resta à Câmara Municipal de Jales manifestar o seu Repúdio à falta de ação da Elektro em resolver os problemas de iluminação pública em nossa cidade, na esperança de que providências sejam tomadas para saná-los”, completa.

“Vivemos nessa luta constante e não é apenas este vereador. Os nove vereadores têm indicações contra a Elektro. É um abuso o que ela vem fazendo no município de Jales”, afirmou o autor da proposta. Bismark disse que a tolerância da companhia em não cumprir o serviço não é a mesma da cobrança da conta dos consumidores. “Vai você atrasar a sua conta pra ver se eles não vão lá e na cortam. Nós pagamos a iluminação pública”.

O vereador recuperou uma outra Moção de Repúdio aprovada pela Câmara de Jales em 2014. “O problema vem há tempos e ninguém faz nada? Então quem paga é a população”.     Henrique Viotto, que não assinou a Moção, mas votou favoravelmente a ela, contemporizou. “Nós não aprovamos apenas moções, mas fazemos ações. Todos os vereadores entraram em contato com o representante da Elektro e agendamos uma reunião de trabalho para que todas as questões sejam discutidas e deixar claro que não estamos contentes com o trabalho realizado pela Elektro”.

Em entrevista à rádio Nova Cultura, Abra criticou a sugestão, afirmando que “a Elektro não obedece nem ordem judicial”, portanto uma nova reunião seria perda de tempo.

OUTRO LADO

Por e-mail, a Elektro informou que até o momento não foi notificada dessa moção e da mesma forma não foi questionada pela Câmara Municipal sobre problemas pontuais na iluminação. Mas confirmou a informação de que já havia reunião agendada com todos os vereadores na Câmara Municipal de Jales para esta segunda feira, dia 11.

“Esclarecemos que o atendimento às manutenções de iluminação pública em Jales é realizado regularmente pela concessionária. A população precisa  informar a Elektro, em qualquer um de nossos canais de atendimento, para que seja realizado o reparo. Observamos, contudo, que a Elektro não é responsável pela manutenção da iluminação ornamental do Município, como, por exemplo, praças, canteiros, viadutos, passarelas, pontilhões, etc., que são de responsabilidade da Prefeitura Municipal”, afirma a empresa através da assessoria.

Por fim, a companhia diz que para o caso de implantação de novos pontos ou melhoria da iluminação, também é necessário o acionamento da Administração Municipal, que deverá solicitar orçamento para esse serviço.

ATRASO NOS ESFs

A Elektro usou a sua assessoria para rebater as informações de que a inauguração dos postos da Estratégia da Saúde da Família (ESFs) Ozil Rezende, Zilda Arns e Luiz Ernesto Sandi Mori está atrasada por conta da demora na instalação da rede elétrica. Segundo a companhia, o serviço está dentro do prazo determinado pela Aneel – órgão regulador. O Ministério Público Federal e a Prefeitura de Jales já teriam sido informados sobre os motivos que impediram o trabalho da concessionária. “As ligações dos prédios das unidades ESF Ozil Rezende e ESF Zilda Arns foram concluídas nos dias 22 e 24 de agosto. A ligação do ESF Luiz Ernesto Sandi Mori estava programada para a última terça-feira, dia 5, mas a concessionária depende da regularização do padrão de entrada do prédio.

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados