Baixa umidade coloca Jales como a segunda cidade mais seca do país

040917104538.jpg
A baixa umidade do ar em Jales ganhou destaque de Maria Júlia Coutinho, responsável pela previsão do tempo no Jornal Nacional

A baixa umidade do ar alcançou níveis extremos nesta semana em Jales, chegando a se equiparar à condição dos mais conhecidos desertos do mundo. No domingo, 27, o Higrógrafo da Estação Automática, mantida na cidade pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), registrou 13% de umidade relativa do ar. Nos dias que se seguiram, a condição caiu ainda mais.

O evento mereceu destaque no Jornal Nacional, da Globo, principal jornalístico da TV brasileira, que mostrou Jales na segunda colocação como cidade mais seca do país, na segunda-feira, dia 28. Os 12% de umidade do ar registrados aqui colocaram-na à frente até de outras famosas por essa condição, como Cuiabá – MT, que registrou 16% e Brasília – DF, que registrou 13%. A nossa cidade só não esteve mais seca do que Rio Verde-GO, que registrou 11% naquela tarde.

Na terça-feira, 29, o índice voltou a se repetir e permaneceu assim por quatro horas seguidas, entre 14 e 17 horas. O desconforto era agravado pelo calor. No mesmo período, a temperatura bateu na casa dos 34,8ºC.

Na quarta-feira, a umidade desceu até 13%, mas a temperatura subiu um pouco mais e alcançou os 35,7ºC às 14 horas. Mas foi na quinta-feira, 31 de agosto, que as condições se tornaram mais extremas. Enquanto o Higrógrafo marcou 12%de umidade relativa do ar, o termômetro marcou 35,9ºC.

A semana foi tão seca que, mesmo de madrugada, e no raiar da aurora, quando a umidade é mais alta, o índice não chegou ao nível considerado razoável pela OMC. O registro mais favorável foi registrado por volta de 7 horas da manhã de domingo, 27, quando chegou a 50%. De lá para cá, a proporção não passou de 47%.    

O QUE É

De acordo com ao Centro de pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Universidade de Campinas Unicamp, a unidade do ar representa quanto de água na forma de vapor existe na atmosfera no momento com relação ao total máximo que poderia existir, na temperatura observada. A umidade do ar é mais baixa principalmente no final do inverno e inicio da Primavera, no período da tarde, entre 12 e 16 horas.

Problemas decorrentes da baixa umidade

do ar

Complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento de mucosas; Sangramento pelo nariz; Ressecamento da pele; Irritação dos olhos; Eletricidade estática nas pessoas e em equipamentos eletrônicos e aumento do potencial de incêndios em pastagens e florestas.

Cuidados a serem tomados

Entre 20 e 30% - Estado de

Atenção

Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11 e 15 horas; umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, molhamento de jardins etc; Sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol, em áreas vegetadas etc; consumir água à vontade.

Entre 12 e 20% - Estado de Alerta

Observar as recomendações do estado de atenção; suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10 e 16 horas; evitar aglomerações em ambientes fechados e usar soro fisiológico para olhos e narinas

Abaixo de 12% - Estado de emergência

Observar as recomendações para os estados de atenção e de alerta; determinar a interrupção de qualquer atividade ao ar livre entre 10 e 16 horas como aulas de educação física, coleta de lixo, entrega de correspondência etc; determinar a suspensão de atividades que exijam aglomerações de pessoas em recintos fechados como aulas, cinemas etc entre 10 e 16 horas e durante as tardes, manter com umidade os ambientes internos, principalmente quarto de crianças, hospitais etc.

Deixe um comentário

Parceiros

050315164829.jpg
050315165005.jpg
050315163746.jpg
050315172328.jpg
050315171824.jpg

Colunistas

Últimas Notícias

A Tribuna TV

Enquete

Para combater o mosquito que transmite Zika,Dengue e Chikungunya, os agentes de saúde devem ou não entrar nos locais com suspeita de foco mesmo sem a autorização do proprietário?



Resultados